Você está em: CEARA // Notícia de Anselmo // 13 de janeiro de 2019

Conforme o Ministério do Trabalho, nos últimos 15 anos, o Ceará ganhou 46.586 postos de trabalhos na área do turismo. Visando potencializar esses números, cidades têm investido na recuperação de seus marcos turísticos


Os católicos representam mais de 60% da população brasileira, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Diante de tão expressivos números, muitos municípios cearenses trabalham com cuidado para a manutenção de seus monumentos religiosos, responsáveis por atraírem o público desse segmento. Canindé e Quixadá, no Sertão Central do Ceará, são exemplos. As prefeituras se esforçam para aprimorarem esses equipamentos e com eles fortalecer a economia local.

Em Canindé, terra de São Francisco das Chagas, a administração municipal se empenhou para assegurar investimentos públicos de R$ 880 mil que será destinado à realização da primeira etapa de urbanização do entorno da estátua, a maior do Ceará, por onde circulam anualmente mais de 1,5 milhão de romeiros, conforme dados da Prefeitura. "Quem é bem recebido sempre volta, por isso a importância de ter uma boa estrutura receptiva", ressalta a prefeita Rozário Ximenes.

Melhorias
Dentro de 60 dias, os visitantes poderão contar com estacionamento, rampa para cadeirantes e "até apreciar o monumento religioso à noite com mais segurança", detalhou Ximenes. No pátio foram instaladas luminárias com mais de 400 waats de potência cada. Os mais de 50 quiosques com vendas de lembranças religiosas poderão funcionar também quando o sol se pôr. "Serão instaladas 64 novas lâmpadas ao lado do estacionamento", acrescentou o engenheiro responsável pela obra, George Costa.

Comerciantes, ambulantes e fotógrafos de turistas veem as melhorias com otimismo. "Os romeiros estão se tornando cada vez mais exigentes, por esse motivo é preciso estar bem estruturado, como ocorre em outros lugares de peregrinação religiosa", pontuou George.

Marco natural

Nessa mesma perspectiva, o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Quixadá, Pedro Baquit, está elaborando um plano de revitalização da Pedra do Cruzeiro. O marco natural, localizado no Centro da cidade, recebeu esse título após a construção de uma cruz no seu cume, com vista privilegiada para toda a cidade. Abandonado há décadas, a ideia é discutir qual destino dar à peça religiosa e ao mesmo tempo fortalecer essa marca. "A estrutura tem potencial econômico, mas é preciso torná-la atrativa", reconhece Pedro Baquit.

O primeiro passo foi dado. A Prefeitura lançou uma enquete nas redes sociais para a população decidir o destino do artefato de concreto construído em 1934. Uma das propostas é erguer outro símbolo, na mesma forma do atual, e nele concentrar todas as antenas ali instaladas.
Acesso
Além do acesso convencional, um elevador panorâmico poderá facilitar a subida, como ocorre com o do Lacerda, em Salvador, na Bahia. Sobre recursos financeiros para viabilizar as obras, Baquit inicia dizendo "que o espaço pertence ao Município, e não à Diocese, como muitos imaginavam". Dessa forma, foi aberto o caminho para negociar a utilização do monólito com as empresas proprietárias das antenas ali instaladas. Elas poderão custear as obras e serviços, como de segurança e de limpeza. Emendas parlamentares complementarão o projeto, finaliza o gestor municipal.

Diário do Nordeste
Caderno: CEARA
Obs.: Os comentários abaixo postados, não refletem as opiniões do Ipu Notícias
Comentários
0 Comentários

0 comentários

Faça seu Comentário

Todos os comentários são lidos e moderados previamente
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria
- Não serão aceitos comentários difamatórios
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros sites ou blogs

OBS.: Comentários dos leitores não refletem as opiniões do IN

2010 - Portal Ipu Notícias . Todos os Direitos Reservado. - Desenvolvido por Fagner Freire