'Sou perseguido e ameaçado, ele já desmarcou a hemodiálise da minha mãe', diz vítima de stalking em RO

Mensagens que Anderson recebe com imagens do seu local de trabalho e de sua casa — Foto: Reprodução/Arquivo pessoal
 

 

O caso veio à tona na última semana, quando o jovem resolveu expor os episódios nas redes sociais. Em uma das postagens, ele descreve seus dias como um "verdadeiro inferno": várias vezes por dia recebe encomendas não solicitadas, em qualquer lugar que esteja. Todas elas supostamente enviadas pelo ex.

Mais de 10 boletins de ocorrências já foram registrados por Anderson contra o ex-namorado. Os crimes relatados são: stalking, ameaça, falsidade ideológica, difamação, invasão de privacidade e roubo de dados pessoais.

Quando o 'pesadelo' começou

Em 2023, Anderson iniciou um relacionamento com um rapaz e em menos de um mês os dois estavam morando juntos. Isso porque o garoto alegou ter sido expulso de casa pela mãe, que não aceitava sua sexualidade e o relacionamento dos dois.

O que era para ser algo breve se estendeu por meses, que foram marcados por problemas na relação, incluindo mentiras e comportamentos obsessivos, segundo Anderson.

"As atitudes dele não me faziam bem. E o que já não estava muito bom, piorou de um nível preocupante. Iniciando as perseguições. Foi aí que meu pesadelo começou. Em uma conversa com a mãe dele descobri que ele nunca havia sido expulso e que poderia voltar a qualquer momento, diferente do que ele falava", explica Anderson.

Após o término, o rapaz ficou na casa de Anderson por mais dois meses. Quando saiu, passou a mandar mensagem alegando que não tinha dinheiro e nem conseguia encontrar emprego. Anderson emprestou o notebook para ajudar o ex a conseguir um emprego e, nesse período, teve os dados roubados, segundo seu relato.

'Eu recebi diversas ameaças'

Meses depois do término, Anderson começou a receber notificações de tentativas de invasão em suas contas de redes sociais e aplicativos de mensagens. Ele também passou a receber mensagens ofensivas de usuários e números desconhecidos.

Mensagens que Anderson começou a receber em um aplicativos de mensagens de um número desconhecido — Foto: Arquivo pessoal/Anderson Aragão

Em um dia, o jovem recebeu uma ligação de alguém que afirmava estar na frente de sua casa para um encontro marcado em um site de relacionamento. A pessoa exigia que ele pagasse o valor da corrida do aplicativo de transporte que usou para ir até o local.

De acordo com Anderson, depois disso ele passou a receber diversas visitas inesperadas de rapazes em sua casa, que contavam a mesma história. Chegaram a ser mais de cinco pessoas por dia, em horários variados.

"[O ex] se passava por mim, usava minhas fotos e enviava meu endereço marcando encontros, dizendo que quando chegassem na minha casa era só 'empurrar o portão' que eu pagaria a corrida. Eu recebi diversas ameaças por isso", relatou.

As ameaças que o jovem recebia desencadearam insônia, ansiedade e um estado constante de vigilância, com a sensação de que a qualquer momento alguém poderia aparecer na porta de casa.

Mensagens subliminares

Anderson também teve as contas das redes sociais invadidas. O invasor postava imagens de eletrodomésticos à venda e conteúdos adultos. Em várias ocasiões, ele recebeu dinheiro em sua conta bancária, como supostos pagamentos por fotos e vídeos íntimos falsos.

O ex-namorado chegou a enviar uma mensagem para Anderson, alegando ser o autor das perseguições, mensagens ofensivas e invasão de dados. Ele afirmou que tudo que estava acontecendo era porque a vítima não queria ter uma última relação sexual com ele.

Além das visitas inesperadas, Anderson começou a receber presentes, como flores, bombons e entregas de delivery, em qualquer lugar que estivesse, inclusive no seu local de trabalho, acompanhados por cartões com mensagens subliminares.

Segundo o boletim de ocorrência registrado pela vítima de stalking, um dos bilhetes dizia: "O dia vai ser lindo, aguarde e verá. Hoje é o grande dia da sua vida, Anderson". Outro bilhete diz: "a vida é tão sombria quanto a morte".

Presentes de floricultura que o jovem recebeu com mensagens subliminares — Foto: Reprodução/Arquivo pessoal

Após alguns dias, o motorista da floricultura compareceu ao trabalho do rapaz, informando que não havia recebido o pagamento dos pedidos e que o "pix" feito em nome de Anderson era falso: ou seja, seu stalker estava usando seus dados para enviar os presentes sem pagar.

'Minha vida virou um inferno'

Em menos de um ano, Anderson trocou de número de celular mais de cinco vezes. Isso acontecia porque alguém ligava para a operadora se passando por ele e solicitava a desativação do número, alegando que tinha sido roubado.

"As mensagens, ameaças, visitas inesperadas e encomendas continuavam chegando sem parar. Minha vida virou um inferno. Cheguei a ficar um tempo longe de casa, mas ele sempre descobria o meu endereço, meu telefone", conta.

Jovem chegou a mudar de número de telefone várias vezes em um ano por causa das perseguições e ameças — Foto: Reprodução/Arquivo pessoal

Chegou a um ponto que as ameaças evoluíram até chegar aos familiares de Anderson. Em uma das ocasiões, o stalker ligou para o local onde a mãe de Anderson realiza hemodiálise três vezes por semana devido a problemas renais e cancelou a sessão. Em seguida, ele enviou uma mensagem para Anderson informando que sua mãe perderia a vaga na unidade.

Além disso, o stalker começou a enviar mensagens para a prima de 12 anos de Anderson, dizendo que iria "pegar" o rapaz e que ele não sairia vivo dessa. Chegou até a enviar uma foto para a criança com conteúdo pesado.

'Continua até hoje'

O ex-namorado de Anderson também chegou a denunciá-lo por estupro, mas disse ter retirado todas as queixas, alegando que estava agindo dessa maneira há um ano porque queria reatar o relacionamento com o rapaz e que nunca teve a intenção de causar danos.

De acordo com Anderson, uma audiência sobre o caso já foi marcada, mas o acusado não compareceu ao local pois a justiça não conseguiu encontrá-lo. Uma segunda tentativa foi reagendada para o mês de junho.

"Isso ainda continua, todos os dias recebo encomenda em qualquer lugar que eu tiver. As visitas passaram a ser até no meu trabalho. Ele me manda fotos dos locais onde eu tô, como se tivesse me perseguindo. Eu não aguento mais isso tudo, a vontade que tenho hoje em dia é de ir embora da cidade e nunca mais voltar", relatou.

O g1 entrou em contato com a Policia Civil de Rondônia e pediu informações sobre o andamento das investigações e esclarecimentos deste caso, mas ainda não obteve resposta.

 

G1

Caminhão com etanol pega fogo após acidente e interdita Rodovia

 

Caminhão com etanol pega fogo após acidente e interdita Rodovia Cândido Portinari em Batatais, SP — Foto: Redes sociais
 

Um caminhão carregado com 44 mil litros de combustível pegou fogo na manhã deste sábado (18) após uma colisão perto de uma praça de pedágio entre Batatais (SP) e Brodowski (SP).

Segundo o Corpo de Bombeiros, um carro bateu na traseira do veículo que levava etanol, por volta das 5h50, na altura do km 343 da Rodovia Cândido Portinari (SP-334). Ainda não se sabe o que provocou a batida. O impacto resultou no incêndio do combustível do caminhão-tanque, que ainda se espalhou pela pista.

Caminhão com etanol pega fogo após acidente e interdita Rodovia Cândido Portinari em Batatais, SP — Foto: Redes sociais

De acordo com a Arteris ViaPaulista, concessionária que administra o trecho, a rodovia chegou a ser interditada nos dois sentidos para atuação da empresa e do Corpo de Bombeiros.

"A situação era bem perigosa. De imediato houve o deslocamento das equipes tanto do município de Batatais quanto de Ribeirão Preto", afirmou a tenente do Corpo de Bombeiros Ana Carolina Oliveira Silva.
  • Pedágio 'free flow' em Jaboticabal: Saiba quando começa e como funciona

Os ocupantes dos dois veículos conseguiram sair a tempo. "O condutor do veículo leve não se encontrava mais no local. O condutor do caminhão não apresentou ferimentos."

Caminhão com etanol pega fogo após acidente em rodovia entre Batatais e Brodowski

Caminhão com etanol pega fogo após acidente em rodovia entre Batatais e Brodowski

O fogo foi apagado após duas horas. Os bombeiros também aplicaram um líquido gerador de espuma (LGE) no canteiro central e no acostamento por conta do vazamento de etanol na pista.

A rodovia foi liberada nos dois sentidos no fim da manhã, até então com tráfego parcial para quem seguia em direção a Ribeirão Preto.

G1

Mulheres são baleadas em tiroteio em bar no Interior do Ceará

 A Polícia Militar foi acionada para o local do crime

Um tiroteio em um bar, em Limoeiro do Norte, no Interior do Ceará, deixou pelo menos três mulheres feridas, na noite da última sexta-feira (17). Ninguém foi preso pelo crime, até a publicação desta matéria.

Conforme informações preliminares, criminosos chegaram ao estabelecimento comercial, no bairro Boa Fé, e efetuaram vários disparos.

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS) confirmou a ocorrência, em nota, e informou que "as vítimas foram atingidas por disparos de arma de fogo e socorridas para uma unidade hospitalar".

A investigação do crime ficará a cargo da Delegacia Municipal de Limoeiro do Norte, da Polícia Civil do Ceará (PCCE). "As Forças de Segurança realizam diligências no intuito de identificar e capturar os suspeitos do crime", destacou a SSPDS.

A Pasta ressaltou que "a população pode contribuir com as investigações repassando informações que auxiliem os trabalhos policiais. As informações podem ser direcionadas para o número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), ou para o (85) 3101-0181, que é o número de WhatsApp. O sigilo e o anonimato são garantidos".

Diário do Nordeste

Vira-latas 'furtam' tapete de loja de roupas e são flagrados por câmeras de segurança, em Reriutaba

 

 

 

Dois cachorros vira-latas foram flagrados por câmeras de segurança de uma loja de roupas 'furtando' um tapete. O caso aconteceu na manhã deste sábado (18), no bairro Centro, em Reriutaba, Região Norte do Ceará.

Nas imagens, é possível observar um cachorro “caramelo” e outro com cores branco e marrom na entrada da loja. O cão "caramelo" se aproxima do tapete e o pega com a boca. O outro se aproxima, e também pega e arrasta o tapete para a calçada. A ação dura 30 segundos. (Veja vídeo acima)

Dois cachorros levaram o tapete de uma loja de roupas em Reriutaba. — Foto: Reprodução/TV Verdes Mares
Dois cachorros levaram o tapete de uma loja de roupas em Reriutaba. — Foto: Reprodução/TV Verdes Mares


O proprietário afirmou que as atendentes chegaram pela manhã cedo para abrir o estabelecimento e perceberam o desaparecimento do tapete. Então resolveram verificar quem era o ladrão. Para surpresa de todos, as câmeras mostraram os cachorros levando o tapete.

As vendedoras ainda procuraram o tapete pelo quarteirão, mas a peça ainda não foi recuperada. 

 

(g1)

 

Polícia Civil apreende veículo usado em assalto a loja de eletrônicos em Ipu

 


 

A Polícia Civil do Ceará, em uma ação conjunta entre a Delegacia Municipal de Ipu e a Delegacia Metropolitana de Caucaia, apreendeu na noite de sexta-feira (17/05/2024) o veículo utilizado no assalto a uma loja de eletrônicos no centro da cidade de Ipu. O crime ocorreu na madrugada do dia 7 de maio de 2024.

Leia mais sobre a matéria acessando o link (clique aqui)

(Ipu Notícias.com)

Homem é morto dentro de salão de beleza em Fortaleza

 Crime no Quintino Cunha

Um homem, suspeito de chefiar uma facção criminosa cearense, foi morto a tiros em um salão de beleza, no bairro Quintino Cunha, em Fortaleza, na tarde desta sexta-feira (17). O caso é investigado pela 6ª Delegacia do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Conforme a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) equipes das Polícias Civil e da Militar foram acionadas ao local. "Conforme as primeiras informações, a vítima, um homem de 22 anos, foi lesionado por disparos de arma de fogo em um estabelecimento comercial. A vítima não resistiu aos ferimentos e foi a óbito no local", detalhou a SSPDS. 

A vítima possuía antecedentes criminais por porte ilegal de arma de fogo. "As investigações estão a cargo da 6ª Delegacia do DHPP, unidade da Polícia Civil que realiza diligências com o objetivo de elucidar o caso", finalizou a Pasta.

Diário do Nordeste

Educação sexual nas escolas avança, mas esbarra em conservadorismo familiar, dizem profissionais do Ceará

 Educação sexual nas escolas do Ceará avança mas esbarra em conservadorismo familiar. — Foto: Fabiane de Paula/SVM

A palestra fazia parte de uma parceria entre a Secretaria da Educação do Ceará (Seduc) e o Comando da Polícia Militar para Prevenção e Apoio às Comunidades (Copac), que oferece ações e atividades de prevenção especializada, unindo proteção social e segurança pública. A Seduc falou ainda sobre a Divisão de Proteção ao Estudante (Dipre) da Polícia Civil. Todas essas ações são acompanhadas por áreas específicas da secretaria.

O Ministério da Educação informou que a educação sexual é uma das ações prioritárias a serem cobertas no âmbito do Programa Saúde na Escola, política pública desenvolvida pelos ministérios da Educação e da Saúde. O tema já é consolidado dentro da Pedagogia e do próprio Ministério da Educação.

Educação sexual na escola

Em 2001, o Plano Nacional de Educação determinou a inclusão da educação sexual nas diretrizes curriculares dos cursos de formação de docentes. O acesso à educação sexual no ensino público é uma ação de saúde muito necessária. Segundo o IBGE, na Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (Pense, 2015), 33,8% dos adolescentes do 9º ano do Ensino Fundamental entrevistados no levantamento responderam não ter usado camisinha na última relação sexual.

O ministério considerou também que abordar educação sexual nas escolas é uma forma de enfrentamento da violência sexual contra crianças e adolescentes. Entre 2015 a 2021, foram notificados 202.948 casos de violência sexual contra crianças e adolescentes no Brasil, sendo 83.571 contra crianças e 119.377 contra adolescentes (dados do próprio ministério).

Mudanças nas escolas

Profissionais falam que a abertura ao tema cresce ao longo dos anos, mas a recusa familiar ainda atrapalha maiores avanços. — Foto: Fabiane de Paula/SVM

A professora de sociologia, Iara Danielle, avaliou os avanços que tem notado nas discussões sobre educação sexual no ambiente escolar, em comparação a mais de uma década atrás, quando começou a lecionar.

“Quando eu iniciei na carreira, dando aula de sociologia, era inevitável tratar dessa temática, só que era muito complicado porque são temas tabus, que não são bem vistos por algumas gestões”, comentou. “É notório quanto nossos alunos passam por situações de abuso em casa e, muitas vezes, nem entendem o que são esses abusos porque falta informação”, complementou Iara.

Iara disse que os professores pensam diversas formas de trazer o tema nas atividades letivas, seja com orientações mais específicas, minicursos, oficinas ou debates com base em campanhas — como a do Maio Laranja.

“Quando a criança e o adolescente são bem orientados, bem informados, e entendem a diferença entre um carinho e assédio, essas coisas podem ser evitadas; ou, quando acontecem, se sentem mais seguras para denunciar”, disse.

“A gente toma muito cuidado para não despertar gatilhos. Muitas vezes, em palestras dessas, a gente acaba descobrindo situações de abuso dentro das casas e cotidianos desses alunos e alunas”, complementou Iara.

A professora alertou para a necessidade de pensar estrategicamente sobre como abordar os temas, principalmente com o público adolescente que está no ensino médio. “A gente consegue adaptar para a linguagem deles. Hoje em dia, tem as redes sociais que trazem vídeos curtos com explicações, que o professor pode pegar e levar como tema de debate; é algo que eles gostam. Também podemos sugerir páginas [de redes sociais]”, pontuou.

Incentivo familiar

Foi pensando em como e quando falar sobre questões sexuais que Maria de Fátima Voss decidiu abordar o tema com o filho, Francisco Voss, que hoje tem 12 anos. No entanto, ela começou a tratar da temática quando ele era ainda mais novo — por volta de seis anos. “O maior medo para uma mãe, é o que de pior a gente imagina que pode acontecer com um filho, é ser abusado por alguém”, declarou.

“Encontrar a linguagem certa sempre é muito delicado, mas, da nossa maneira, a gente sempre conseguiu falar sobre isso. Hoje, eu falo com ele sobre sexo com uma naturalidade muito maior do que, eu imagino, os outros colegas dele falam [com as famílias]”, disse.

Na contramão da tendência conservadora familiar, Maria avaliou que falar sobre educação sexual nas escolas é algo fundamental. “Acho que é urgente [a educação sexual nas escolas], é necessário. Acho que é uma frase clichê, mas que se mostra cada vez mais verdadeira, que a pessoa que é contra é porque tem alguma coisa a esconder”, comentou.

“É muito angustiante ter um filho entrando na pré-adolescência, período em que eles realmente deixam de estar o tempo todo sob nossos cuidados. Para mim, ele chega agora em um momento em que começa a ter curiosidades de cunho sexual e que ele vai partir para uma nova experiência de mundo”, destacou Maria.

Ela disse que, inclusive, acha que o tema precisa ser discutido além do ambiente escolar, mas também em outros contextos comunitários. Em qualquer oportunidade que estejamos falando sobre educação de crianças, precisamos falar de educação sexual.

Iniciativas públicas

O g1 questionou à Secretaria da Educação do Ceará como o órgão tem trabalhado com o tema da educação sexual no ensino médio. A Seduc informou que “Equidade de Gênero e Proteção às Mulheres” é o tema norteador nas escolas estaduais em 2024. A temática deve perpassar tanto o currículo, como as interações pessoais em suas diversas formas.

O tema direciona projetos importantes da rede estadual de ensino como “Ceará Cientifico”, “Alunos que inspiram”, “Escola Espaço de Reflexão” e “Fórum dos Grêmios Estudantis”, além de influenciar direta ou indiretamente em todos os programas, projetos e ações da Seduc.

Além disso, a pasta conta com uma secretaria executiva de Direitos Humanos e Equidade, que tem desenvolvido ações voltadas às diversas temáticas envolvidas nessa área. São materiais impressos e de acesso virtual, formações, palestras para a comunidade escolar.

A Seduc implementou as Comissões de Proteção e Prevenção à Violência contra a Criança e o Adolescente na rede pública estadual, em parceria com o Ministério Público. Esse processo tem como finalidade reforçar o papel protetivo da escola e estreitar sua relação com a Rede de Proteção para fortalecer uma atuação protagonista da unidade de ensino.

As comissões elaboram seus planos de prevenção, promovendo debates e formação continuada em direitos humanos nas suas várias dimensões. Entre as iniciativas destinadas à temática em questão, foi elaborada uma série de materiais específicos como o livro “Olhares Plurais na Escola: Dialogando sobre Direitos Humanos, Gênero e Sexualidade”, para formação de professores, e a cartilha “Gênero e Sexualidade: Que Babado é Esse?”.

Tanto o livro como a cartilha foram impressos e entregues às escolas da rede estadual e estão disponíveis, juntamente com outros materiais de Educação em Direitos Humanos. A Seduc planeja promover um Curso de Letramento de Gênero cuja intenção é disponibilizar os materiais produzidos (livro e cartilha).

A Secretaria da Educação, por meio de suas regionais e escolas, conta com a parceria e o atendimento dos órgãos de segurança. Entre eles está o Comando da Polícia Militar para Prevenção e Apoio às Comunidades (Copac), que oferece ações e atividades de prevenção especializada, unindo proteção social e segurança pública. Da mesma forma, com a Divisão de Proteção ao Estudante (Dipre) da Polícia Civil. Todas essas ações são acompanhadas por áreas específicas da Seduc. 

G1

Ceará começa a aplicar vacina da Covid com reforço contra a variante ômicron

As vacinas começam a ser aplicadas nesta segunda-feira,20

A partir de segunda-feira, 20, o Ceará passa a aplicar as doses da vacina monovalente contra Covid-19, do laboratório Moderna, que tem reforço contra a sub variante ômicron XBB 1.5. O anúncio foi feito pelo governador Elmano de Freitas pelas redes sociais nesta sexta-feira, 17.

Na postagem, Freitas diz que foram distribuídas 108.800 doses que estarão disponíveis para completar o esquema vacinal das crianças com a faixa etária de 6 meses a 4 anos de idade e reforço da proteção aos grupos prioritários.

Diante da possibilidade de ocorrência de novas variantes de Covid-19, é fundamental tomar o imunizante, mesmo com esquema completo, inclusive com o reforço, desde que a última dose tenha sido aplicada há mais de 3 meses.

O imunizante será aplicado nos postos de saúde de todo o Estado e nas unidades dos Vapt Vupt em Fortaleza.

O Povo

Corpo de mulher que desapareceu após ida à agência bancária é encontrado em Juazeiro do Norte

 Mulher desaparece após sair de agência bancária em Juazeiro do Norte

Equipes da Guarda Civil do município de Juazeiro do Norte, no interior do Ceará, encontraram o corpo de uma mulher que estava desaparecida desde o último dia 3, na tarde dessa quinta-feira, 16. A vítima saiu de casa para resolver assuntos bancários em uma das agências da Caixa Econômica da cidade. As informações são da rádio O POVO CBN Cariri. 

Conforme os membros da corporação, o corpo de Adriana Silva Santos, de 33 anos, foi localizado com o auxílio de drones em um matagal próximo ao loteamento Barão de Araruna, no bairro Cidade Universitária, em Juazeiro do Norte.

Os agentes explicaram que o dispositivo remoto encontrou, também, a motocicleta do modelo Honda Fan 160, que Adriana utilizou ao sair de casa pela última vez.

A Perícia Forense foi acionada ao local e apura a causa da morte.

À rádio O POVO CBN Cariri, familiares de Adriana relataram que a mulher saiu de casa por volta das 13 horas para uma agência da Caixa Econômica, no centro da cidade.

Cerca de 24 horas depois do desaparecimento, câmeras de monitoramento registraram que a mulher passou por uma loja de roupas na rua Teodomiro Rocha, no bairro Pio XII. Esta foi a última vez que Adriana foi vista com vida.

O Povo

Pai de criança abandonada à beira de estrada no Ceará disse a polícia que queria 'corrigir' o filho

 

Polícia investiga tentativa de abandono de incapaz no Ceará. — Foto: Reprodução/TV Verdes Mares


O pai do garoto de 8 anos que foi abandonado momentaneamente, por duas vezes, em diferentes pontos do município de Trairi, no litoral do Ceará, alegou para a polícia que não tinha intenção de largar o filho, mas sim de "corrigir o comportamento" dele.

O homem e a madrasta do menino foram ouvidos pela polícia na quarta-feira (15). O casal é investigado pela Delegacia Metropolitana de Trairi por tentativa de abandono de incapaz e tortura psicológica.

Criança abandonada já está com a mãe

Nesta quinta-feira (16) o garoto foi entregue a mãe, que mora em Pacatuba, na Região Metropolitana de Fortaleza.

Conforme o Conselho Tutelar de Trairi, após tomar conhecimento do caso um profissional foi até a residência em que a criança vivia com o pai e a madrasta e constatou que ela não apresentava marcas físicas de agressão.

"A criança está bem, sob os cuidados da mãe", disse o Conselho Tutelar de Trairi.

Tentativa de abandono

Na primeira tentativa, o pai e a madrasta estacionaram o carro preto na frente de uma escola técnica e deixaram a criança na calçada. O vigilante da escola testemunhou o caso e fez com que o casal retornasse e pegasse a criança.

Em outro momento, o menino foi deixado próximo a uma rotatória. Na ocasião, o garoto foi fotografado do lado de fora do veículo, com os pertences em uma sacola e uma mochila.

"A Delegacia Metropolitana de Trairi está a cargo dos trabalhos investigativos e realiza oitivas e diligências para elucidar todas as informações acerca do caso, bem como confirmar a prática dos crimes e representar judicialmente contra suspeitos. O veículo utilizado pelos suspeitos no dia do caso foi apreendido pela unidade policial", disse a Secretaria da Segurança. 

G1

Postagens mais visitadas