Você está em: NACIONAL // Notícia de Anselmo // 21 de outubro de 2019

Nova reviravolta dentro do PSL. Após o deputado federal, Delegado Waldir (PSL-GO) entregar, na manhã desta segunda-feira (21), o cargo de líder do partido na Câmara, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) é o novo líder da bancada do PSL na Câmara. O nome dele apareceu no sistema da Câmara como novo ocupante do cargo.
Nos últimos dias, Waldir travou uma disputa, incluindo troca de acusações, com a ala do PSL ligada ao presidente Jair Bolsonaro. O ex-líder do PSL é ligado ao grupo do presidente nacional do partido, Luciano Bivar (PE).
O líder do governo na Casa, Major Vitor Hugo (PSL-GO), chegou a protocolar pela manhã à Secretaria-Geral da Mesa Diretora uma lista com 29 assinaturas para destituir Waldir da liderança do PSL na Câmara e substitui-lo pelo deputado Eduardo Bolsonaro (SP), filho do presidente.
Ofensiva
A nova ofensiva do governo pela liderança do partido na Câmara ocorre após a guerra travada pelas duas alas na semana passada. A ala bolsonarista tentou destituir Waldir da liderança do PSL na Casa, sem sucesso.
Em retaliação, o presidente Jair Bolsonaro retirou a deputada Joice Hasselmann (SP) da liderança do governo no Congresso. Ela deve ser substituída pelo senador Eduardo Gomes (MDB-TO), que é vice-líder.
Bivar decidiu ainda destituir Eduardo e o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho mais velho do presidente, dos comandos da legenda em São Paulo e no Rio de Janeiro, respectivamente. Outra aliada de Bolsonaro, a deputada Bia Kicis (PSL-DF) também foi removida da presidência do PSL do Distrito Federal.
Em meio a isso tudo, foram divulgados dois áudios que acirraram os ânimos nas duas alas. O presidente foi gravado falando com um interlocutor sobre a lista para retirar Waldir da liderança do PSL. Em outro, o próprio Waldir chamou Bolsonaro de vagabundo e disse que ia implodir o presidente.
O áudio, de duração de nove minutos, traz uma série de reclamações dos deputados sobre a interferência do presidente na liderança do partido.
Houve ainda denúncias de compra de apoio de parlamentares por Bolsonaro. Segundo Waldir, o presidente teria oferecido cargos e controle partidário a quem votasse em Eduardo para líder do PSL na Câmara.
A atual crise no partido tem como origem o esquema de candidaturas laranjas do PSL, caso revelado pela Folha em uma série de publicações desde o início do ano. O episódio é um dos elementos de desgaste entre o grupo de Bivar e o de Bolsonaro, que ameaça deixar o partido.
 
UOL
Caderno: NACIONAL
Obs.: Os comentários abaixo postados, não refletem as opiniões do Ipu Notícias
Comentários
0 Comentários

0 comentários

Faça seu Comentário

Todos os comentários são lidos e moderados previamente
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria
- Não serão aceitos comentários difamatórios
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros sites ou blogs

OBS.: Comentários dos leitores não refletem as opiniões do IN

2010 - Portal Ipu Notícias . Todos os Direitos Reservado. - Desenvolvido por Fagner Freire