Você está em: NACIONAL // Notícia de Anselmo // 27 de junho de 2020


De Sevilha a Estocolmo, de Paris a Milão, a Europa enfrenta a primeira onda de calor deste ano. No momento em que as autoridades relaxam as medidas de quarentena impostas para barrar a propagação do coronavírus, aumenta o temor de que as altas temperaturas possam acelerar resultar em novos focos de propagação da doença.
Com o início do verão no Hemisfério Norte e a primeira onda de calor de 2020, as autoridades temem que a população deixe de respeitar as medidas de precaução ao coronavírus. Diante das temperaturas máximas ultrapassando os 35°C em várias cidades de Portugal, Espanha, Itália e França, e mais de 30°C nos países escandinavos, desde o início desta semana, muitas pessoas aproveitam para sair às ruas, lotando parques e praias.
O fenômeno é registrado devido à chegada de uma massa de ar quente vinda da África. No entanto, trata-se de um episódio curto e que deve durar até amanhã, afirmam meteorologistas.
Apelo das autoridades
Apesar dos apelos das autoridades para o respeito do distanciamento físico e o uso de máscara, a disputa por um lugar ao sol fez muita gente esquecer das medidas de proteção. Em Milão, cidade extremamente castigada pela Covid-19, alguns moradores improvisaram banhos de sol nas terraças de prédios. Em Sevilha, o rio Guadalquivir foi invadido por amadores de canoagem.
No Reino Unido, os termômetros podem se aproximar do recorde que data de 1976 de 35,9°C para um mês de junho. O governo britânico, que anunciou recentemente uma nova fase de relaxamento da quarentena, teme que um aumento de contaminações devido ao grande número de pessoas que saíram às ruas e invadiram as praias devido ao forte calor.
Na Suécia, a agência pública de saúde desaconselhou a utilização de ventiladores nas casas de repouso, para evitar a propagação do vírus. Diante do risco das altas temperaturas aos idosos, as autoridades sanitárias suecas recomendaram a instalação de ares-condicionados ou toldos para fazer sombra.
Na França, os termômetros devem ultrapassar os 35°C nesta tarde, segundo a agência Météo-France. As praias do litoral Atlântico e Mediterrâneo estão lotadas desde terça-feira (23). Em Paris, o calor sufocante faz com que muitos se refresquem às margens do Rio Sena, em parques ou à sombra, em cafés e bares.
Nas ruas de Nice, no sul da França, uma “brigada da onda de calor” percorre as ruas instruindo as pessoas a se protegerem das altas temperaturas. A principal preocupação é com os idosos, que são encorajados a se hidratar e a evitar a exposição ao sol. Fontes de água e brumizadores foram instalados pela cidade.
Segunda onda de Covid-19
A onda de calor ocorre no mesmo momento de cientistas e médicos advertem à possibilidade de uma segunda onda do coronavírus. A Organização Mundial da Saúde (OMS) expressou nesta quinta-feira (25) sua preocupação com o ressurgimento de casos de Covid-19 na Europa.
Segundo Hans Kluge, diretor do escritório da OMS para o Velho Continente, na semana passada, a Europa “viu um aumento do número de contaminações semanais pela primeira vez depois de meses”. Segundo ele, cerca de 30 países também registraram novos focos da doença nas últimas duas semanas.
RFI
Caderno: NACIONAL
Obs.: Os comentários abaixo postados, não refletem as opiniões do Ipu Notícias
Comentários
0 Comentários

0 comentários

Faça seu Comentário

Todos os comentários são lidos e moderados previamente
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria
- Não serão aceitos comentários difamatórios
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros sites ou blogs

OBS.: Comentários dos leitores não refletem as opiniões do IN

2010 - Portal Ipu Notícias . Todos os Direitos Reservado. - Desenvolvido por Fagner Freire