Você está em: NACIONAL // Notícia de Fagner Freire // 22 de setembro de 2020



O Ministério da Saúde aprovou estudo enviado pela CBF para o retorno de até 30% da capacidade do público nos estádios brasileiros na Série A, a partir de outubro. A informação foi publicada pelo jornal O Globo.

Cada Estado ou município deve adotar uma política sanitária e um protocolo de saúde exigidos pelo Ministério, conforme a reportagem apurou. O aval foi dado pelo ministro Eduardo Pazuello em ofício ao presidente Rogério Caboclo.

A liberação deve ser feita de forma uniforme em território nacional. Dirigentes dos principais clubes cearenses já projetavam a volta dos torcedores às arquibancadas para outubro. Os 30% se referem somente à torcida do clube mandante.

"Eu espero que volte em outubro, é uma expectativa. Fazemos essa projeção. Mas precisa dialogar com as autoridades para buscar um protocolo bacana e que possa voltar com segurança", havia dito Robinson de Castro, presidente do Ceará.

"A gente colocou uma previsão de retorno de público a partir de outubro dentro do orçamento. É uma previsão, não é nada embasado em dado ou sinalização do Governo, até porque não é apenas o Governo, é o Governo e a CBF para que possa voltar, mas acho até difícil. Vamos aguardar, vai prevalecer o bom senso, o futebol é importante para o nosso Estado", comentou Marcelo Paz, mandatário do Fortaleza, durante o programa "Debate Jogada" da última terça-feira (15).
 
 
 
(Diário do Nordeste)
Caderno: NACIONAL
Obs.: Os comentários abaixo postados, não refletem as opiniões do Ipu Notícias
Comentários
0 Comentários

0 comentários

Faça seu Comentário

Todos os comentários são lidos e moderados previamente
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria
- Não serão aceitos comentários difamatórios
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros sites ou blogs

OBS.: Comentários dos leitores não refletem as opiniões do IN

2010 - Portal Ipu Notícias . Todos os Direitos Reservado. - Desenvolvido por Fagner Freire