Você está em: CEARA // Notícia de Fagner Freire // 2 de setembro de 2020


Dose única de um medicamento que pode mudar para sempre a vida de uma criança. A família do pequeno Uriel Tavares, nascido há três meses em Juazeiro do Norte, Interior do Ceará, e recentemente diagnosticado com Atrofia Muscular Espinhal (AME), busca conseguir judicialmente que a União custeie uma dose do medicamento Zolgensma.

O remédio foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no Brasil no último mês de agosto. Nos Estados Unidos da América, o medicamento tem custo aproximado de 2,2 milhões de dólares, quase R$ 12 milhões. Fontes indicam que ele tem a dose mais cara a nível mundial na atualidade.

Atualmente, Uriel está internado no Hospital Albert Sabin, em Fortaleza. AME é uma doença rara grave e degenerativa. A atrofia progressiva dos músculos pode levar ao comprometimento da movimentação, inclusive o ato de respirar e engolir. Por meio de vaquinha virtual (link), a família recebe doações para arcar com despesas durante o tratamento.
Busca

A mãe Sueli Tavares conta que no momento em que a família soube que existia este medicamento e que ele se aplica ao caso da criança eles procuraram ajuda de um advogado para entrar com uma ação judicial.

"O remédio só pode ser aplicado até os dois anos de idade. O diagnóstico veio após avaliação clínica e exame genético. Se ele tomar essa medicação o mais rápido possível tem como preservar os neurônios. Pedimos sensibilidade das autoridades para esta liberação", disse Sueli.

Alexandre Costa, advogado da família da criança, destaca que a ação foi protocolada nessa terça-feira (1º) em caráter emergencial a fim de resguardar a vida da criança: "quanto mais rápido o tratamento acontecer, melhor".

A médica geneticista Denise Carvalho de Andrade, membro da equipe que acompanha Uriel, reitera a necessidade da urgência. Denise explica que o Zolgensma é uma terapia gênica com a proposta de solucionar o caso em definitivo.

Segundo a médica, no Brasil, outra criança com AME fez uso do medicamento há poucos meses após a família conseguir trazê-lo do exterior. A paciente número um no País vem respondendo bem ao tratamento, diz Denise.

"Com a aprovação da Anvisa há o direito de que se lute na Justiça para conseguir o custeio. A terapia gênica funciona como inserir, de forma artificial, algo que substitua um gene da criança que veio com defeito. O Uriel tem essa alteração genética. Ele se encaixa no perfil exato do paciente que pode fazer uso desta medicação. Cada segundo é importante para esta criança. O tempo vale ouro", afirmou a especialista.



(Diário do Nordeste)
Caderno: CEARA
Obs.: Os comentários abaixo postados, não refletem as opiniões do Ipu Notícias
Comentários
0 Comentários

0 comentários

Faça seu Comentário

Todos os comentários são lidos e moderados previamente
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria
- Não serão aceitos comentários difamatórios
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros sites ou blogs

OBS.: Comentários dos leitores não refletem as opiniões do IN

2010 - Portal Ipu Notícias . Todos os Direitos Reservado. - Desenvolvido por Fagner Freire