Você está em: NACIONAL // Notícia de Fagner Freire // 3 de setembro de 2020


O medo da infecção causada pelo novo coronavírus fez com que muitas pessoas deixassem de ir às unidades de saúde ou serviços privados de vacinação, atrasando os esquemas de doses ou a aplicação de novas vacinas em pessoas das diversas faixas etárias.

Embora seja rara, a meningite é uma doença que mata e deixa graves sequelas nos sobreviventes, principalmente a bacteriana, que tem letalidadade em torno de 20% no Brasil. Ela já tem vacina própria, disponível em todos os postos de saúde do país.

Existem várias vacinas no Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde que protegem contra diversos tipos de meningite. Cinco delas estão disponíveis na rede pública de todos os estados brasileiros e são administradas conforme a situação do paciente.

Confira:
→ Vacina meningocócica C conjugada: protege contra a doença causada pela bactéria Neisseria meningitidis, sorogrupo C. O esquema vacinal são duas doses, aos três e cinco meses de idade, com intervalo de 60 dias entre as doses. As crianças devem receber uma dose de reforço aos 12 meses de idade. Adolescentes de 11 e 12 anos recebem um reforço ou dose única (a depender da situação vacinal encontrada) com a vacina meningocócica ACWY.

→ Vacina pneumocócica conjugada 10 valente: protege contra as doenças invasivas causadas pela bactéria Streptococcos pneumoniae, incluindo meningite. O esquema vacinal são duas doses aos dois e quatro meses de idade, com intervalo de 60 dias entre as doses, em crianças menores de um ano de idade e um reforço – preferencialmente aos 12 meses, podendo ser administrado até os quatro anos de idade.

→ Vacina pentavalente: protege contra doenças invasivas causadas pela bactéria Haemophilus influenzae sorotipo b, como meningite, e também contra a difteria, tétano, coqueluche e hepatite B. O esquema é feito com três doses – aos dois, quatro e seis meses de vida; primeiro reforço aos 15 meses com a vacina DTP (difteria, tétano e coqueluche) e o segundo reforço aos quatro anos, também com a vacina DTP. Na rotina dos serviços a vacina é disponibilizada para crianças até seis anos, 11 meses e 29 dias ainda não vacinadas.

→ Vacina BCG: protege contra as formas graves de tuberculose, inclusive a meningite tuberculose. O esquema é dose única, o mais precocemente possível, preferencialmente nas primeiras 12 horas após o nascimento, ainda na maternidade. Pode ser feita até quatros anos de idade, 11 meses e 29 dias, em crianças não vacinadas oportunamente.

→ Vacina tríplice viral: protege contra as meningites causadas pelo vírus da caxumba, sarampo e rubéola, como complicação dessas doenças. O esquema básico é: 1ª dose aos 12 meses e 2ª dose aos 15 meses (tríplice viral+varicela ou tetra viral, quando disponível). Indivíduos de um a 29 anos precisam ter duas doses da tríplice viral e de 30 a 59 anos, pelo menos uma dose.


(CNews)
Caderno: NACIONAL
Obs.: Os comentários abaixo postados, não refletem as opiniões do Ipu Notícias
Comentários
0 Comentários

0 comentários

Faça seu Comentário

Todos os comentários são lidos e moderados previamente
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria
- Não serão aceitos comentários difamatórios
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros sites ou blogs

OBS.: Comentários dos leitores não refletem as opiniões do IN

2010 - Portal Ipu Notícias . Todos os Direitos Reservado. - Desenvolvido por Fagner Freire