Você está em: NACIONAL // Notícia de Anselmo // 29 de janeiro de 2021

A unidade havia sido visitada por uma equipe da Vigilância Sanitária na última quinta-feira (28), e entrou com uma ação judicial no mesmo dia




Legenda: Ainda assim, o Hospital deverá comprovar que apresentou todos os documentos requisitados pela Vigilância Sanitária em até 15 dias, conforme descrito na liminar.


Após a Vigilância Sanitária do Estado interditar o centro cirúrgico do Hospital Gastroclínica, em Fortaleza, na última quinta-feira (28), a unidade entrou com uma ação judicial que resultou em liminar publicada hoje (29), suspendendo a interdição.

O documento foi assinado pelo juiz Emilio de Medeiros Viana, da 15ª Vara da Fazenda Pública. Em sua análise, o magistrado aponta “informalidades” no ato administrativo promovido pelo Estado, e que “não há como manter os efeitos desse ato, ao menos nos moldes como foi produzido”.

O texto aponta, ainda, que o Estado pode comprovar – em Juízo – a ocorrência dos fatos que levaram à interdição, e revisar o ato administrativo em si. “O que não é possível, frise-se, é interromper atividade de tradicional unidade hospitalar pela alegação genérica e inespecífica de que teriam ocorrido fatos dos quais não há, ao menos até aqui, início concreto de ocorrência”, acrescenta o juiz.

A reportagem entrou em contato com a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) para questionar se outras medidas serão adotadas após a publicação da liminar, e aguarda um retorno até o momento.

Ainda assim, o Hospital deverá comprovar que apresentou todos os documentos requisitados pela Vigilância Sanitária em até 15 dias, conforme descrito na liminar.

“Hoje, testamos todos os profissionais do centro cirúrgico, então, atualmente, o Hospital Gastroclínica é o único de Fortaleza que tem o centro cirúrgico todo testado, todos tiveram resultado negativo. Nós esperamos uma nota de retificação da Secretaria da Saúde”, afirma Camilla Goes, advogada da unidade.
Profissionais internados

A interdição da unidade se deu após 12 profissionais que atuaram no setor, nas duas últimas semanas, terem sido internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) com Covid-19, conforme apontado pela Sesa.

Inicialmente, o local seria interditado por 20 dias. A Pasta informou que as vigilâncias sanitária, epidemiológica e de saúde do trabalhador atuam em conjunto para “investigar as causas do adoecimento e se existe nexo causal com o trabalho”. Protocolos de bloqueio não teriam sido adotados pelo hospital, ainda segundo a Secretaria da Saúde.


Diário do Nordeste



Caderno: NACIONAL
Obs.: Os comentários abaixo postados, não refletem as opiniões do Ipu Notícias
Comentários
0 Comentários

0 comentários

Faça seu Comentário

Todos os comentários são lidos e moderados previamente
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria
- Não serão aceitos comentários difamatórios
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros sites ou blogs

OBS.: Comentários dos leitores não refletem as opiniões do IN

2010 - Portal Ipu Notícias . Todos os Direitos Reservado. - Desenvolvido por Fagner Freire