Você está em: CEARA // Notícia de Anselmo // 11 de junho de 2021






 

A Justiça Eleitoral do Ceará manteve decisão desfavorável ao prefeito de Sobral, Ivo Ferreira Gomes (PDT), que deverá efetuar o pagamento de multa, no valor de R$ 150 mil, por promover aglomeração durante a campanha eleitoral de 2020, quando foi reeleito para o cargo. A decisão foi tomada esta semana pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-CE), em conformidade com parecer do Ministério Público Eleitoral.


Segundo o MP, Gomes havia recorrido ao TRE-CE depois de ter sido condenado na primeira instância judicial pela promoção de um evento político que gerou aglomeração de pessoas na véspera da votação, em novembro, quando o então candidato a prefeito “percorreu ruas de Sobral a bordo de um veículo, sendo seguido por apoiadores em carros e motos”.


No processo, o MP Eleitoral apontou que o ato não se tratou de evento espontâneo, mas de ação organizada. A constatação se deu a partir de elementos como a "presença de veículo automotor pouco comum nas cores da campanha, bem como o uso de diversas bandeiras com os identificadores da campanha eleitoral (número, cor, partidos, nomes dos candidatos) e a uniformização das pessoas que seguiam o candidatos".


O Tribunal manteve a penalidade de multa, mas reduziu o valor, antes fixado em R$ 250 mil. O MP destaca que a mudança de valor considerou que “a condenação será suportada exclusivamente pela pessoa física de Ivo Gomes”.



O POVO Online

Caderno: CEARA
Obs.: Os comentários abaixo postados, não refletem as opiniões do Ipu Notícias
Comentários
0 Comentários

0 comentários

Faça seu Comentário

Todos os comentários são lidos e moderados previamente
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria
- Não serão aceitos comentários difamatórios
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros sites ou blogs

OBS.: Comentários dos leitores não refletem as opiniões do IN

2010 - Portal Ipu Notícias . Todos os Direitos Reservado. - Desenvolvido por Fagner Freire