Você está em: NACIONAL // Notícia de Fagner Freire // 22 de junho de 2021

 


Primeiro lote das vacinas da Janssen chegou ao Brasil com 1,5 milhão de doses. O avião com a carga aterrissou na manhã desta terça-feira, 22, ao Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos. As informações são do portal G1.

A previsão inicial era que o País recebesse 3 milhões de doses até 15 de junho, mas não foi confirmada. De acordo com o Ministério da Saúde, o envio foi cancelado pela própria Janssen, que não teria explicado os motivo. Em entrevista, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que a vacina da Janssen “é muito útil” por ser de dose única, proporcionando uma vacinação “mais rápida” da população. Ele não detalhou se as doses serão direcionadas a algum grupo específico.

Segundo a farmacêutica, esta primeira entrega é parte de um acordo firmado em março de 2021 com o Ministério da Saúde para a compra de 38 milhões de doses da vacina da Janssen. A vacinação será feita de acordo com o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra Covid-19, dentro do Programa Nacional de Imunização (PNI). 

Diferente de outros imunizantes, a vacina da Janssen  é aplicada em dose única. As vacinas da Pfizer/BioNTech e AstraZeneca/Oxford requerem duas doses para completar o ciclo de imunização da população.

 


No Ceará, segundo o governador do Ceará Camilo Santana (PT), a distribuição de 120.200 doses de vacinas da Janssen, em parceria com a farmacêutica norte-americana Johnson & Johnson, será feita para os 184 municípios cearenses aplicarem na população geral entre 30 e 44 anos.

Segundo a Janssen Brasil em resposta ao O POVO, os estudos apontam que a vacina apresenta eficácia de 85% para casos graves e 100% de proteção contra hospitalização e morte por Covid-19, em 14 dias a 28 dias após a vacinação. Os testes demonstraram resultados positivos sobre a proteção contra a forma severa da doença em diferentes regiões, idades e variantes múltiplas do vírus, incluindo a SARS-CoV-2 da linhagem B.1.351 observada na África do Sul.

Armazenamento 

A vacina pode ser armazenada por até dois anos em temperatura de -20°C, e até três meses em temperatura entre 2ºC e 8°C. Assim, o imunizante pode ser distribuído de acordo com a infraestrutura e logística de cadeia fria de distribuição já existentes para outros medicamentos e vacinas.

A vacina da Janssen tem autorização para uso emergencial no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para imunização contra Covid-19 em indivíduos a partir de 18 anos de idade.

Efeitos colaterais

Os efeitos colaterais da vacina da Janssen contra a Covid-19, segundo a farmacêutica, incluem reações no local da aplicação como dor, vermelhidão na pele e inchaço, além de efeitos colaterais gerais como dor de cabeça, sensação de muito cansaço, dores musculares, náusea, febre.

"Há uma chance remota de que a vacina da Janssen contra a COVID-19 possa causar uma reação alérgica grave. Uma reação alérgica grave geralmente ocorre dentro de alguns minutos a uma hora após a administração da dose da vacina da Janssen contra COVID-19", explica em comunicação a empresa farmacêutica da Johnson & Johnson. Por essa razão, quem aplica a vacina pode pedir que o vacinado permanecer no local onde recebeu a dose para monitoramento após a vacinação.

 

 

(O Povo)

Caderno: NACIONAL
Obs.: Os comentários abaixo postados, não refletem as opiniões do Ipu Notícias
Comentários
0 Comentários

0 comentários

Faça seu Comentário

Todos os comentários são lidos e moderados previamente
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria
- Não serão aceitos comentários difamatórios
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros sites ou blogs

OBS.: Comentários dos leitores não refletem as opiniões do IN

2010 - Portal Ipu Notícias . Todos os Direitos Reservado. - Desenvolvido por Fagner Freire