Você está em: CEARA // Notícia de Fagner Freire // 28 de julho de 2021

 


Um homem de 49 anos foi preso nas primeiras horas da manhã dessa segunda-feira, 26, acusado de estuprar a neta, na época, com três anos de idade. O crime foi registrado em 2018, mas o criminoso só foi capturado três anos depois mediante cumprimento de mandado de prisão preventiva em Caucaia, Área Integrada de Segurança 11 (AIS 11) do Estado.

De acordo o Governo do Estado do Ceará, policiais civis da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Caucaia iniciaram as investigações com as informações sobre o crime e conseguiram identificar o acusado. Com a decisão judicial em mãos, os investigadores cumpriram e prenderam o homem de 49 anos que, até o momento, não possuía antecedentes criminais.

Investigações sobre a conduta do homem continuam sendo feitas na tentativa de identificar possíveis crimes semelhantes que possam ter sido praticados contra outros parentes da família.

Como denunciar?

A população pode contribuir com as investigações repassando informações que auxiliem os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas por meio do telefone (85) 3101.7926, da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Caucaia. Ainda, para o número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

É possível denunciar também por meio do WhatsApp pelo número (85) 3101.0181, via mensagem, áudio, vídeo e fotografia. O sigilo e o anonimato são garantidos.
 
(O Povo)
Caderno: CEARA
Obs.: Os comentários abaixo postados, não refletem as opiniões do Ipu Notícias
Comentários
0 Comentários

0 comentários

Faça seu Comentário

Todos os comentários são lidos e moderados previamente
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria
- Não serão aceitos comentários difamatórios
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros sites ou blogs

OBS.: Comentários dos leitores não refletem as opiniões do IN

2010 - Portal Ipu Notícias . Todos os Direitos Reservado. - Desenvolvido por Fagner Freire