Você está em: CEARA // Notícia de Fagner Freire // 13 de outubro de 2021

 


Uma fonte de renda muitas vezes invisível aos olhos da maioria e ainda pouco explorada. Fora a questão econômica, um ganho incalculável para o meio ambiente e o fortalecimento do conceito de desenvolvimento sustentável da sociedade. É em busca de fortalecer a prática da coleta seletiva antes que os resíduos cheguem aos aterros sanitários e/ou lixões ainda existentes que o Governo do Ceará está trabalhando em parceria com os municípios. Até o momento, 169 prefeituras cearenses já aderiram ao Plano de Coletas Seletivas Múltiplas e devem, até 2023, estar com suas centrais de coleta construídas ou em fase final de edificação.

Esses espaços serão utilizados prioritariamente por recicladores que, hoje, já realizam esse trabalho nas ruas e avenidas das cidades cearenses. O modelo de parceria adotado ajuda a gerar renda para os catadores e a levar mais dignidade a esses autônomos. “Fizemos parcerias com os municípios para que todos tenham seus locais de reciclagem, juntamente com as associações de catadores”, disse o titular da Secretaria do Meio Ambiente do Ceará (Sema), Artur Bruno.

Ao reduzir o volume de resíduos a ser enviados aos aterros, menor será a área utilizada, consequentemente diminuindo o custo de instalação e manutenção, dando uma vida útil maior a esses equipamentos. Só irá para o aterro sanitário o que não for mais possível ser reutilizado ou reciclado. “As centrais de resíduo valorizam a política ‘pré-aterro’. É a possibilidade de você separar e comercializar os resíduos que tenham algum valor, evitando que eles cheguem para a disposição final, no caso aterros sanitários ou lixões”, explicou André Pereira, técnico da Coordenadoria de Desenvolvimento Sustentável da Sema.

O Ceará criou, em 2016, sua Política de Resíduos Sólidos, na qual prevê a coleta seletiva como forma preferencial, sendo necessário que os resíduos sejam segregados no próprio município de origem. Dando continuidade à fortificação dessa metodologia de separação, já em 2018 o Estado finalizou os planos regionais de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos das suas regiões. Dentro desse planejamento, 21 consórcios públicos (com adesão de 169 municípios) para a construção de aterros sanitários já foram formalizados. Para apoiar os municípios cearenses que aderiram ao Plano de Coletas Seletivas Múltiplas a implementarem as instalações necessárias, o Governo do Ceará alterou os critérios de repasse dos 2% do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

 

(G1/CE)

 

Caderno: CEARA
Obs.: Os comentários abaixo postados, não refletem as opiniões do Ipu Notícias
Comentários
0 Comentários

0 comentários

Faça seu Comentário

Todos os comentários são lidos e moderados previamente
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria
- Não serão aceitos comentários difamatórios
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros sites ou blogs

OBS.: Comentários dos leitores não refletem as opiniões do IN

2010 - Portal Ipu Notícias . Todos os Direitos Reservado. - Desenvolvido por Fagner Freire