Você está em: NACIONAL // Notícia de Anselmo // 1 de novembro de 2021

Um albanês de 30 anos escapou da prisão domiciliar para ir ao quartel pedir aos policiais que colocassem ele atrás das grades novamente. “Melhor na prisão do que no mesmo apartamento com minha esposa”, reporta o jornal italiano Il Giornale. O caso aconteceu em Guidonia Montecelio, município da província de Roma.

O homem havia sido preso por envolvimento com drogas. Ele estava ciente de que sair de casa significaria perder o direito à prisão domiciliar. Apesar disso, decidiu seguir o caminho em direção ao quartel do município e fez o pedido inusitado ao militar de plantão: “Já escapei, por favor, leva-me para a prisão

Em seguida, o albanês contou aos soldados da companhia de Tivoli, localizada perto do município e chefiada pelo capitão Francesco Giacomo Ferrante, como era impossível morar em casa com sua esposa, que segundo ele é temperamental.

“É o inferno. Tenho medo de perder a cabeça. Se você não quer que algo de ruim aconteça, me prendam”, confessou aos policiais, que acataram o pedido.

Prisão

O foragido foi detido sob a acusação de evasão. O procurador do Ministério Público de Tivoli,, Giuseppe Mimmo, foi informado sobre a acusação e ordenou a transferência para a prisão. O albanês está agora na prisão de Rebibbia, em Roma, mas será julgado pelo crime de evasão. Caberá ao juiz avaliar as circunstâncias atenuantes e levar em consideração os motivos de sua fuga.

BHAZ

 

Caderno: NACIONAL
Obs.: Os comentários abaixo postados, não refletem as opiniões do Ipu Notícias
Comentários
0 Comentários

0 comentários

Faça seu Comentário

Todos os comentários são lidos e moderados previamente
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria
- Não serão aceitos comentários difamatórios
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros sites ou blogs

OBS.: Comentários dos leitores não refletem as opiniões do IN

2010 - Portal Ipu Notícias . Todos os Direitos Reservado. - Desenvolvido por Fagner Freire