Você está em: MUNDO // Notícia de Fagner Freire // 15 de fevereiro de 2022

 


A Rússia retirou de regiões de fronteira com a Ucrânia algumas das tropas que faziam exercícios militares e enviou os soldados de volta para suas bases, disse o Ministério de Defesa do país nesta terça-feira (15).

De acordo com a agência Interfax, o porta-voz do ministério, Igor Konashenkov, afirmou que os grandes exercícios militares não terminaram, mas que soldados de distritos do Sul e Oeste completaram as manobras e vão começar a voltar para as bases. Não foi especificado quantos soldados devem voltar aos quartéis. 

Os Estados Unidos e o Reino Unido têm avisado que a Rússia pode estar se preparando para invadir a Ucrânia a qualquer momento.

A ministra de Relações Exteriores do Reino Unidos, Liz Truss, disse que só acredita que a Rússia não pretende invadir a Ucrânia se ela vir uma retirada completa das tropas das regiões de fronteira. 

Imagens de vídeo divulgadas pelo Ministério de Defesa da Rússia e publicadas pela agência de notícias RIA mostram alguns tanques sendo carregados em vagões de trens.

O ministério afirmou que vai usar caminhões para carregar uma parte do material, e que as tropas vão marchar até as bases.

Governo russo confirma retirada

O governo russo confirmou o início da retirada de suas tropas estacionadas na fronteira com a Ucrânia, ressaltando que os exercícios são normais e denunciando o que chama de "histeria" ocidental diante de uma suposta invasão do país vizinho.

"Sempre dissemos que depois das manobras as tropas voltarão para seus quartéis de origem. E é isso que está acontecendo agora. É o procedimento habitual", disse o porta-voz da Presidência russa, Dmitri Peskov, à imprensa.

Ele afirmou que no futuro Moscou vai organizar "mais exercícios em toda Rússia" e reivindicou o direito do país a organizar manobras em seu território.

No momento em que os países ocidentais, liderados pelos Estados Unidos, afirmam que a Rússia prepara uma invasão da Ucrânia, Peskov denunciou uma "campanha absolutamente sem precedentes destinada a provocar tensões".

"Este tipo de histeria não tem nenhum fundamento", disse o porta-voz.

A Rússia concentrou mais de 100 mil soldados em regiões de seu território próximas das fronteiras com a Ucrânia. Além disso, enviou militares para a Belarus para exercícios militares que devem terminar no dia 20 de fevereiro. Assim, a Ucrânia está quase completamente circulada por militares russos.

O governo russo negou que tem planos para atacar o país vizinho, mas exige garantias legais que a Ucrânia não vai integrar a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

 

 (G1)

Caderno: MUNDO
Obs.: Os comentários abaixo postados, não refletem as opiniões do Ipu Notícias
Comentários
0 Comentários

0 comentários

Faça seu Comentário

Todos os comentários são lidos e moderados previamente
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria
- Não serão aceitos comentários difamatórios
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros sites ou blogs

OBS.: Comentários dos leitores não refletem as opiniões do IN

2010 - Portal Ipu Notícias . Todos os Direitos Reservado. - Desenvolvido por Fagner Freire