Você está em: NACIONAL // Notícia de Fagner Freire // 7 de abril de 2022

 Lula, em entrevista à Rádio  — Foto: Reprodução

O ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva afirmou nesta quinta-feira (7) ser contra o aborto e voltou a afirmar que o assunto deve ser debatido como uma questão de saúde pública. Na quarta-feira (6), Lula gerou polêmica ao comentar o assunto  e dizer que "mulheres pobres morrem", enquanto "madame pode fazer um aborto em Paris".

"Essa pergunta já chegou pra mim umas mil vezes: eu sou contra o aborto, mas é preciso transformar numa política pública. Mesmo eu sendo contra, ele existe, ele se dá com uma pessoa de alto poder aquisitivo, ela vai ao exterior e se trata. E o pobre, como faz?", disse em entrevista à rádio Jangadeiro BandNews, de Fortaleza.

Coordenadores da campanha do presidente Jair Bolsonaro preparam o uso da frase para afastar Lula dos eleitores conservadores, conforme informou o Blog da Andréia Sadi. Fontes dentro do PT afirmaram terem sidas pegas de surpresa com a fala do pré-candidato e que Lula centraliza e não delega decisões, tampouco debate temas polêmicos que vai abordar em entrevistas, debates e discursos.

"O que acho é que o aborto tem que ter atenção do estado, o estado tem que cuidar dessas pessoas. É uma questão de bom senso. Por mais que a lei proíba e a religião não concorde, ele existe, a partir do momento em que a pessoa esteja no processo de aborto, o estado tem que amparar essa pessoa", completou o ex-presidente. 

No primeiro semestre de 2020, mais de 80 mil mulheres foram atendidas pelo SUS em todo o país em razão de abortos malsucedidos - provocados ou espontâneos. O total é 79 vezes maior do que o de interrupções de gravidez previstas pela lei no período: 1.024 abortos legais realizados à época.

Protesto na casa de deputados

Outro tema tratado por Lula na entrevista foi referente a outra declaração dita na terça-feira, em que incentivou que a população vá até a casa de deputados cobrá-los sobre determinados temas e não em Brasília para protestar. Deputados bolsonaristas reagiram as declarações, com um deles recarregando uma arma enquanto convida Lula para visitá-lo.

Lula disse que deputados não veem os protestos quando estão dentro da Câmara e que " Todo deputado mora em uma cidade, todo senador mora em uma cidade". "Eu ainda utilizei a palavra ir na porta da casa dele conversar, de forma civilizada, debater um tema que vocês querem ser discutido para que vocês possam ser ouvidos por deputado", completou.

O ex-presidente questionou políticos que "durante as eleições falam que adoram o povo, anda de carro aberto, abanando a mão para o povo" e que, "depois de eleito, o povo passa a ser estorvo". "Não, não custa nada. O cidadão vai lá, bate palma, o deputado sai de forma civilizada, atende os eleitores, pergunta o que eles querem. Eles vão dizer que não quer que aprove determinada lei e o deputado diz se vai votar ou não. Qual é o mal nisso?", falou Lula.

 

 

(g1)

Caderno: NACIONAL
Obs.: Os comentários abaixo postados, não refletem as opiniões do Ipu Notícias
Comentários
0 Comentários

0 comentários

Faça seu Comentário

Todos os comentários são lidos e moderados previamente
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria
- Não serão aceitos comentários difamatórios
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros sites ou blogs

OBS.: Comentários dos leitores não refletem as opiniões do IN

2010 - Portal Ipu Notícias . Todos os Direitos Reservado. - Desenvolvido por Fagner Freire