Ouro apreendido pela PF em São Paulo pertence a empresário

 Os 77kg de ouro apreendidos pela PF no interior de SP já têm dono

Os 77 quilos de ouro apreendidos pela Polícia Federal no interior de São Paulo já têm dono. O empresário Dirceu Frederico Sobrinho gravou um vídeo nesta sexta-feira (6) dizendo que a carga avaliada pela Polícia Federal em R$ 23 milhões é dele.

Dirceu é o dono da FD Gold, uma distribuidora de valores com sede na Avenida Paulista. O empresário nega que a mercadoria tenha sido extraída ilegalmente de garimpos clandestinos nas regiões Norte e Centro-Oeste do país.

“Estou aqui para fazer um esclarecimento, para declarar que esse ouro pertence à minha empresa, FD Gold. Todo ele foi comprado sob permissão de lavra garimpeira concedida, que não pertence a área indígena, que não pertence a garimpos ilegais”, disse Dirceu Frederico Sobrinho.

O ouro chegou de avião em Sorocaba, no interior de São Paulo. A carga foi colocada no porta-malas de dois carros, que seguiram para São Paulo. Na região de Itu, policiais militares rodoviários fizeram a apreensão.

Seis homens faziam a escolta do ouro. Entre eles, dois PMs vinculados à Casa Militar do governo paulista, órgão responsável pela segurança pessoal do governador.

O avião usado no transporte do ouro até Sorocaba estava sequestrado pela Justiça numa outra investigação, que também apura um esquema de extração ilegal de ouro. O advogado Artur Gomes Ferreira, da empresa FD Gold, diz que a empresa desconhecia a decisão.

“Nós desconhecíamos até então, só tomamos conhecimento na apreensão, porque quando foi elaborado o plano de voo, na Anac, não havia qualquer restrição ao voo da aeronave”, afirma.

O advogado nega qualquer irregularidade na extração do ouro nesta operação e em qualquer outra, e culpa a falta de fiscalização por ações ilícitas.

“Por diversas vezes, houve eventos que tratou-se de apuração de origem de ouro comprado e já foi arquivado. Há uma dificuldade do entendimento da operação do ouro, da compra e venda de ouro legal. A falta de fiscalização que existe por parte do governo propicia que empresas comerciais comprem de forma ilegal o ouro e estão nos confundindo”, diz.

A FD Gold atua como intermediária, comprando ouro de garimpeiros e revendendo para instituições financeiras e exportadoras de metais preciosos. A empresa não quis dizer quem seria o destinatário final do carregamento apreendido na quarta-feira (4)

 

(g1)

Tags