Você está em: NACIONAL // Notícia de Anselmo // 30 de junho de 2022






Estudo realizado pela Associação Americana do Coração (AHA, sigla em inglês) definiu que dormir mal é tão nocivo quanto fumar, em atualização da lista das oito coisas essenciais para a vida (Life’s Essential 8) após 12 anos da última atualização.

De acordo com a pesquisa, dormir mal está associado a uma saúde psicológica ruim. Uma melhora da duração do sono, ou a qualidade dele, reduz a incidência de doenças cardiovasculares, depressão, pressão alta, obesidade e demência. Além de reduzir doenças, dormir bem traz várias melhorias para o corpo como:
Fortalecimento do sistema imune;
Reparo e cura de células, tecidos e vasos sanguíneos;
Melhora da energia e do humor;
Aumento da função cerebral; e
Menor risco de doenças crônicas

Hábitos de sono ruins são um fator de risco para várias causas de morte, o recomendado para adultos são de 7 a 9 horas de sono diárias, por isso segue abaixo algumas dicas para a melhora da higiene do sono:
Carregue o celular o mais longe possível de sua cama;
Evite utilizar o celular a noite ou utilize o modo leitura; e
Bloqueia as notificações para que elas não lhe acordem durante a noite.

A AHA também alerta que o sono é apenas um fator para a melhora da qualidade de vida, existem outros sete fatores que fazem viver melhor:
Dieta;
Atividade física;
Baixa exposição à nicotina;
Peso;
Colesterol;
Açúcar no sangue; e
Pressão sanguínea. 

 
Correio Braziliense
Caderno: NACIONAL
Obs.: Os comentários abaixo postados, não refletem as opiniões do Ipu Notícias
Comentários
0 Comentários

0 comentários

Faça seu Comentário

Todos os comentários são lidos e moderados previamente
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria
- Não serão aceitos comentários difamatórios
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros sites ou blogs

OBS.: Comentários dos leitores não refletem as opiniões do IN

2010 - Portal Ipu Notícias . Todos os Direitos Reservado. - Desenvolvido por Fagner Freire