Mais de 500 recenseadores do IBGE pediram rescisão de contrato no Ceará

 Ao todo, Ceará teve 7.348 recenseadores previstos para realização do Censo Demográfico, iniciado em 1º de agosto. — Foto: IBGE/Cedida

No Ceará, 517 recenseadores pediram rescisão de contrato durante as atividades para realização do Censo Demográfico 2022, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ao todo, mais de 6,5 mil pessoas desistiram da função em todo o país.

O órgão abriu nova seleção de vagas temporárias para recenseador e agente censitário, com mais de 6,7 mil vagas. No estado, a seleção conta com 65 vagas divididas entre 19 municípios. No entanto, as vagas não necessariamente representam o número de pessoas desistentes.

Conforme o superintendente do órgão, Francisco Lopes, o número de desistentes representa uma quantidade já estimada pela instituição antes do início dos trabalhos de pesquisa. Em razão disso, foi feita uma reserva já pensada para o caso de rescisões contratuais entre os 7.348 recenseadores a atuarem no estado.

"Essas 65 [vagas] é porque a gente precisa ter um quadro de reservas para o caso de desistências, e, em vários municípios, a gente tava com quadro bem pequeno de reserva", explicou. "É uma forma de termos um quadro para emergências que podem acontecer nos municípios."

O superintendente afirmou que todas as 517 pessoas que desistiram já foram cobertas por novos recenseadores. As pessoas aprovadas na nova seleção serão treinadas e convocadas para a função posteriormente. Ainda de acordo com ele, o Censo Demográfico deve ocorrer normalmente, dentro do prazo previsto.

"No momento, continua o mesmo projeto. Estamos monitorando isso diariamente, então creio que lá para o final do Censo a gente vai ter uma posição melhor sobre qualquer alteração que for feita." 

 

(G1/CE)

Tags