Ceará tem 788 queimadas em agosto; o triplo do registrado no primeiro semestre

 Bombeiros combatem queimada em terreno ao lado de rodovia no Ceará. (foto: Divulgação/ CBMCE)

Os bombeiros do Ceará combateram 788 queimadas durante o mês de agosto. O número é mais que o triplo dos incêndios em vegetação registrados em julho (233). É também mais que o triplo das queimadas combatidas em todo o primeiro semestre (232). O aumento progressivo durante o ano é esperado devido às condições climáticas e chama a atenção para cuidados nos próximos meses.

Do total de queimadas combatidas em agosto, 21 foram em áreas de proteção ambiental, 370 em áreas públicas e 397 em áreas privadas. Os dados do Corpo de Bombeiros Militar do Ceará apontam ainda que 291 ocorrências foram na Região Metropolitana de Fortaleza e 497 no Interior.

"Nesse período do ano, temos o efeito de ventos acima de 30km/h, temperaturas acima de 30º C e umidade abaixo de 30%. Devido a essa conjunção, que ocorre principalmente nos meses de setembro a dezembro, temos uma intensificação dos incêndios em vegetação", explica Giuliano Rocha, tenente coronel dos Bombeiros. "Enquanto no primeiro semestre um fogo no mato era facilmente controlado, agora ele se alastra e sai do controle."

Rocha aponta que realizar queimadas é crime, trazendo prejuízos à fauna e também ao trânsito nas áreas próximas. 

Comparação com anos anteriores

Apesar do número alarmante para agosto, a ocorrência de queimadas tem sido menor do que em 2021. O primeiro semestre de 2022 contabiliza 232 queimadas. No mesmo período do ano passado, foram 1.321 incêndios em vegetação.

Com quadra chuvosa mais intensa e precipitações se estendendo no pós-estação, a menor incidência de focos de incêndio era esperada. Isso porque o solo e a vegetação úmidos, junto da maior umidade do ar, dificultam a ignição da vegetação e o alastramento do fogo.

Ao mesmo tempo, 2021 foi um ano atipicamente seco e contabilizou mais queimadas de janeiro a julho do que no mesmo período de 2020 e 2019. Ambos os anos registraram 312 focos combatidos pelos bombeiros.

Já no segundo semestre, a tendência de aumento de fogo nos terrenos e matas se mantém. Os meses de agosto, setembro e outubro são os mais preocupantes.  Os bombeiros orientam alguns cuidados:

  • Realizar o descarte correto do lixo. Não jogar lixo em terrenos ou áreas de vegetação; 
  • Limpar terrenos baldios com pás e enxadas, não utilizando fogo; 
  • Queimadas de solo para uso agropecuário podem ser feitas somente após autorização do município;
  • Ao avistar focos de incêndio ou pessoas realizando queimadas, denunciar por meio do Tele-Denúncias no número 185.

 

 

(O Povo)

Tags