Você está em: CEARA // Notícia de Anselmo Bandeira // 1 de novembro de 2018

 
O Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto (SP) divulgou nesta quarta-feira (31) a primeira foto das irmãs gêmeas Maria Ysabelle e Maria Ysadora, de dois anos, após a cirurgia que separou as duas meninas. As gêmeas siamesas nasceram unidas pela cabeça e passaram pelo procedimento de separação definitiva em cirurgia que durou cerca de 20 horas. A família mora em Patacas, distrito de Aquiraz. 
Na foto, as duas crianças aparecem com as cabeças ainda enfaixadas, sendo seguradas pela mãe e pelo pai. Elas permanecem internadas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas já respiram sem a ajuda de aparelhos. 
Elas passaram por cinco cirurgias até serem separadas completamente. Segundo o neurocirurgião pediátrico Ricardo Santos de Oliveira, o quinto procedimento foi o mais complexo, pois envolveu a separação da parte dos cérebros que estava unida, além da reconstrução da calota craniana e da pele, com tecidos retirados das próprias crianças, disse em entrevista ao Portal G1. 
Os médicos também disseram que as gêmeas permanecerão por mais algumas semanas no Hospital das Clínicas, onde começará o processo de reabilitação. Só então devem retornar ao Ceará. Ysabelle também passará por mais uma cirurgia para cobrir parte da nuca que ficou sem pele. Segundo o cirurgião plástico Jaime Farina Junior, o local está provisoriamente com um uma membrana de colágeno, que não atrapalha a recuperação.
G1
Caderno: CEARA
Obs.: Os comentários abaixo postados, não refletem as opiniões do Ipu Notícias
Comentários
0 Comentários

0 comentários

Faça seu Comentário

Todos os comentários são lidos e moderados previamente
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria
- Não serão aceitos comentários difamatórios
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros sites ou blogs

OBS.: Comentários dos leitores não refletem as opiniões do IN

2010 - Portal Ipu Notícias . Todos os Direitos Reservado. - Desenvolvido por Fagner Freire