Você está em: CEARA // Notícia de Anselmo // 19 de fevereiro de 2019

A mula é um animal dócil, lembrado pela submissão ao condutor no transporte de cargas. Metaforicamente, no sistema do tráfico de drogas, 'mula' se refere a quem entrega drogas a mando de alguém. No Ceará, a função é realizada por pessoas de diferentes perfis. Mas tem sido cada vez mais comum a presença de mulheres, que ocupam uma das tarefas de maior risco na teia do narcotráfico, expostas à ação policial, a despeito de uma remuneração bem mais modesta - muitas vezes utilizada apenas para sustentar a própria família.
Na madrugada da última quinta (14), Samya Santiago de Lima, 21 anos, subiu na garupa da moto de Eduarda Sousa de Paula, 20. Nas costas, carregava uma mochila com três quilos de maconha. A missão era relativamente simples: transportá-la a um posto de combustíveis na BR-222, em Maracanaú, e trocá-la pela bolsa com R$ 2 mil levada até lá por Lucas Carvalho Viana de Sousa, de 22 anos. No entanto, a transação das três 'mulas' foi frustrada por uma ação da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD), da Polícia Civil do Ceará.
De acordo com o delegado Marciliano Ribeiro, da 1ª Delegacia de Narcóticos da DCTD, apenas Lucas possuía ocupação. Trabalhava na Central de Abastecimento do Ceará (Ceasa) para sustentar três filhos. Por outro lado, as duas mulheres estão desempregadas e já têm dois filhos cada uma. Nenhum dos três tinha antecedentes criminais, mas foram seduzidos pelo "dinheiro fácil" do tráfico.
Samya e Eduarda comentaram, em depoimento, que receberiam R$ 300 pelo serviço. "É uma das formas do traficante maior se afastar da possibilidade de ser preso. Para elas, é um tráfico de subsistência. Vale a pena a Polícia trabalhar nisso? Lógico, estamos tirando droga de circulação. Mas se pegarmos por esse lado da vulnerabilidade, é complicado", reconhece o profissional.
Invisíveis
O diretor da Divisão, Pedro Viana, ressalta que o tráfico prefere usar pessoas que possam passar despercebidas pelas fiscalizações. Dentre as 'mulas', estão adolescentes e idosos, mas tem havido cada vez mais o envolvimento de mulheres, algumas até grávidas ou com crianças de colo. A faixa etária da maioria varia de menos de 18 a 25 anos.
As motivações são variadas. "Vai desde aquela que efetivamente está sem oportunidade de emprego e não consegue mais sair do crime; passando por aquela que, por questão de moda, passa a usar droga e precisa fazer o trabalho pra sustentar o próprio vício; até aquela que, por conta da prisão do companheiro, passa a fazer o trabalho, por necessidade ou por ordem dele", explica o delegado.
No entanto, as 'mulas' são apenas a ponta da cadeia, "mão de obra muito barata e de fácil substituição". Por isso, destaca Viana, a nova diretriz da DCTD é avançar nas diligências para encontrar "os grandes", inclusive enveredando no combate à lavagem de dinheiro. "Só assim, promovendo essa 'asfixia' nas finanças do tráfico, é que vamos dar respostas com maior efetividade", avisa.
Apreensões
Só na última semana, três outras mulheres foram presas no Ceará transportando entorpecentes em ônibus de viagem. No dia 7 de janeiro, Adriana dos Santos Batista, 31, foi capturada na rodoviária de Juazeiro do Norte. Dois dias depois, policiais da Força Tática prenderam Janaina Machado Ponte, 20, a caminho de Sobral. Com ela, foram encontrados dez pacotes de cocaína, pesando cerca de 7,5 kg, e um embrulho de crack em torno de 250 gramas.
Já no dia 11, policiais do Batalhão de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio) apreenderam aproximadamente seis quilos de maconha, em Aracati. A droga estava na bolsa de Dayana Sasha da Silva Sobreira, 21, que viajava num dos primeiros assentos do veículo. Os militares receberam informações de que ela tinha como destino o Litoral Leste.
Segundo o chefe do Núcleo de Operações Especiais da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Fernando Alves, só neste ano foram apreendidos 200 kg de drogas nas rodovias federais que passam pelo Ceará. "A gente tem um trabalho diário de abordagens, principalmente em ônibus interestaduais. Essa quantidade grande que caiu foi devido ao aumento de efetivo. Mais policiais na rua, maior resultado", destaca Alves.
Diário do Nordeste
Caderno: CEARA
Obs.: Os comentários abaixo postados, não refletem as opiniões do Ipu Notícias
Comentários
0 Comentários

0 comentários

Faça seu Comentário

Todos os comentários são lidos e moderados previamente
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria
- Não serão aceitos comentários difamatórios
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros sites ou blogs

OBS.: Comentários dos leitores não refletem as opiniões do IN

2010 - Portal Ipu Notícias . Todos os Direitos Reservado. - Desenvolvido por Fagner Freire