Você está em: NACIONAL // Notícia de Anselmo // 9 de julho de 2019

 
 
Patrícia Araújo morreu no último sábado (6), aos 37 anos de idade. A atriz transexual era conhecida por atuar na novela "Salve Jorge" (2012) da Globo, e por participar do filme "O Vendedor de Sonhos". Segundo o jornal Extra, a carioca estava internada há dez dias em um hospital no Rio de Janeiro, e sofria de um quadro de depressão.
Araújo já foi destaque do Fashion Rio em 2009 e foi eleita musa do camarote da Marquês de Sapucaí. Em "Salve Jorge", ela interpretava uma das vítimas do tráfico de mulheres na Turquia.
Através das redes sociais, Gloria Perez, autora da novela, comentou a  morte: "Que triste! Tão bonita, tão jovem", escreveu em um tuíte.
O estilista Beto Neves, que já trabalhou com a atriz, escreveu no Facebook: "Faleceu sábado minha amiga querida. Trajetória nem tão curta pra quem foi expulsa de casa aos 11 anos. Em 2009 foi eleita como a mulher mais bonita do camarote da Grande Rio no Carnaval Carioca. No mesmo ano que brilhou no meu desfile no Fashion Rio. No fundo uma menina, porém a depressão foi mais forte. Não resistiu!".
A doença
Segundo o Ministério da Saúde, a depressão pode causar além de tristeza profunda e sensação de infelicidade crônica, "baixas no sistema de imunidade e maiores episódios de problemas inflamatórios e infecciosos". Em casos mais graves "pode desencadear, também, doenças cardiodasculares, como enfarto, AVC e hipertensão".
Folhapress
Caderno: NACIONAL
Obs.: Os comentários abaixo postados, não refletem as opiniões do Ipu Notícias
Comentários
0 Comentários

0 comentários

Faça seu Comentário

Todos os comentários são lidos e moderados previamente
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria
- Não serão aceitos comentários difamatórios
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros sites ou blogs

OBS.: Comentários dos leitores não refletem as opiniões do IN

2010 - Portal Ipu Notícias . Todos os Direitos Reservado. - Desenvolvido por Fagner Freire