Você está em: CIDADE , IPU , POLICIAL LOCAL , PRINCIPAL // Notícia de Fagner Freire // 4 de junho de 2020


O repórter Francisco José publicou a história heroica de um homem que ao ouvir gritos da vizinha, conseguiu evitar que a vítima fosse agredida por seu namorado no bairro Reino de França em Ipu (CE).

O caso aconteceu nas primeiras horas desta quarta-feira (03/06), o vizinho após ter entrado em briga com o agressor e ter invertido com um machado esteve na Delegacia de Polícia para registrar o fato.

Leia a entrevista que o repórter/blogueiro fez com o homem que ele se identificou como Moisés na Delegacia.

Entrevista

Repórter: Relate como foi a sua intervenção nesse caso de violência doméstica, em que você Moisés, ao invés de "meter a colher", investiu logo foi com um machado?

Moisés: "Não são casados, mas mantém uma relação. Sim fui ao socorro dela e ela permitiu minha entrada. Antes mesmo do homem me ver ele já havia escapado pulando o muro do quintal indo até as construções do "Miranda". Ele veio pela porta da frente que estava aberta, ele estava com uma pedra na mão, só nessa hora ele notou que eu estava armado [machado]. Aproveitei que ele recuou com medo e dei uma estocada na virilha dele com a cabeça do machado, ele se curvou para frente com o impacto, na mesma hora bati com muita força com o cabo do machado na testa dele, isso fez ele cambalear.

Girei o machado sobre minha cabeça para aproveitar todo o peso dele. Eu estava mirando na perna dele, foi nessa hora que a mulher se pôs no meio gritando que gosta dele. Usei toda força que tinha para parar o golpe e não acertar ela. Ele então segura o machado com às duas mãos, mesmo tendo o peso de duas pessoas eu o empurrei contra a parede com o cabo do machado no pescoço dele, nas vezes em que a mulher se movia eu aproveitava a oportunidade para dar joelhadas na virilha dele.

Por conta tanto dele, como dela lutando contra, não pude manter essa vantagem por muito tempo, a luta que até então ocorria na sala se arrastou para rua, ainda com a mulher agarrada ao Machado entre nós dois. Na rua trocamos socos, ele me acertou algumas vezes e eu também. Foi então que ele soltou o machado e deu fuga da cena proferindo ameaças".

Repórter: Você esteve na manhã desta quarta-feira (03/06) na delegacia? Quais foram as suas declarações, como foi diante da autoridade policial?

Moisés: "Sim estive não só na delegacia, mas também no hospital para o exame de corpo de delito. Não tenho queixas sobre o trabalho dos policiais, sei que eles têm outras atribuições e responsabilidades. Ele fez ameaças de vingança. Sobre a vítima, antes da chegada da polícia militar ela também deixou o local alegando que ia até à casa da mãe dela, posteriormente soube que a mãe dela já tinha morrido há algum tempo, na verdade, ela foi se encontrar com ele mais uma vez. Ela representar é algo indiferente, pois graças a uma mudança na lei o agressor responde mesmo quando a vítima não faz a denúncia, meu depoimento basta para enquadrar ele na Lei Maria da Penha".

Repórter:  Como homem que demonstrou não ficar indiferente diante desse tipo de acontecimento, o que você tem a dizer para as mulheres que sofrem violência doméstica nos mais variados aspectos?

Moisés: "Sobre as mulheres que estão sendo mantidas em relacionamentos abusivos. Muitas estão dependentes de maneira financeira e/ou emocional a seus parceiros. Até onde sei relacionamentos assim só tem três possíveis destinos, o homem matar a mulher (que infelizmente é o que mais vemos), a mulher matar o homem (pois não suporta mais a violência e os abusos e age em legítima defesa) ou o homem ir para a cadeia responder por seus crimes, mas muitas tem medo das prováveis retaliações. 

Muitas mesmo depois da denúncia ainda não tem para aonde ir a não ser para casa de seu agressor. O que digo a elas: se defendam, conte a seus pais, irmãos, amigos, vizinhos, seja a quem for vocês não são obrigadas a suportar um monstro dentro de casa só esperando o dia da próxima surra que pode ser a última que vai matar você. Se defendam, busquem independência emocional e financeira, para que no dia que vocês enjoarem da cara dele vocês pegam suas coisas e vão embora. Se ele tentar segurar você, pegue uma tesoura e crave bem fundo na virilha dele".




Obs.: Os comentários abaixo postados, não refletem as opiniões do Ipu Notícias
Comentários
0 Comentários

0 comentários

Faça seu Comentário

Todos os comentários são lidos e moderados previamente
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria
- Não serão aceitos comentários difamatórios
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros sites ou blogs

OBS.: Comentários dos leitores não refletem as opiniões do IN

2010 - Portal Ipu Notícias . Todos os Direitos Reservado. - Desenvolvido por Fagner Freire