Você está em: NACIONAL // Notícia de Anselmo // 19 de abril de 2021


Os partidos Comunista do Brasil (PCdoB) e Socialismo e Liberdade (PSOL) acionaram o Supremo Tribunal Federal (STF), na última sexta-feira (16), com uma ação que visa obrigar o presidente da República, Jair Bolsonaro, a criar uma comissão com poderes para implementar um lockdown nacional. As informações foram divulgadas pela revista Veja.


Um dos advogados que assinaram o pedido, feito por meio de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI), foi o ex-ministro da Justiça no governo Lula, Tarso Genro. Em uma publicação no Twitter, Genro afirmou que a ação “mostra a recorrente postura de inconstitucionalidade do governo Bolsonaro no tratamento da pandemia e em defesa da vida e da economia”.


Na ação, as legendas de esquerda querem que seja determinada uma cautelar para implantar “providências urgentes e inadiáveis necessárias ao combate à pandemia de Covid-19”. A comissão seria composta por integrantes dos governos federal, estaduais e municipais, além de contar com representantes da comunidade científica.


– A condução do governo federal, ao longo da ocupação do território nacional pelo vírus, é análoga à do governo colaboracionista do general Pétain na ocupação da França pelos nazistas, no curso da Segunda Guerra Mundial. A diferença é que o governo brasileiro tem, ainda hoje, o apoio de uma fração expressiva da população – completa o pedido.


(Paulo Moura / Pleno News)

Caderno: NACIONAL
Obs.: Os comentários abaixo postados, não refletem as opiniões do Ipu Notícias
Comentários
0 Comentários

0 comentários

Faça seu Comentário

Todos os comentários são lidos e moderados previamente
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria
- Não serão aceitos comentários difamatórios
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros sites ou blogs

OBS.: Comentários dos leitores não refletem as opiniões do IN

2010 - Portal Ipu Notícias . Todos os Direitos Reservado. - Desenvolvido por Fagner Freire