Você está em: IBIAPABA , REGIONAL // Notícia de Fagner Freire // 17 de fevereiro de 2022

 https://blogger.googleusercontent.com/img/a/AVvXsEiQgdKrTRET6TBYaTLqb2lsXAU-acJK8BC5kDRJuFttiWtxtiPaxfHLXK7WGMwRkahXGdxAsHHbWNzx9MtChCDccuhCE6wQcS3XkAGZw_qSLnpWsyvtUAX-vamCuPk-bC4m0PlUUw-N2iEBUf-WqFRaitVRuyT3IZX6WlKITacLebatmr62N_mY_sg3Gg=s1600

Os produtores de cachaça de Viçosa do Ceará querem dar mais qualidade à bebida, consolidando a venda no mercado interno, transformando-a em produto de exportação, associando a boa cachaça ao Município.

Na noite de ontem (15/02), na cachaçaria Arte da Vila, aconteceu a posse dos membros da Associação Amigos Produtores da Cachaça Superior de Viçosa do Ceará (APCVIC). “A criação da associação é um ‘divisor de águas’ em nossa cidade, que é o berço da cachaça do Ceará.” – disse Caio Carvalho, da Cachaça Aviador, que acrescentou: “Todo mundo sabe da notoriedade que a cachaça de viçosense tem. Já se fala em produção de cachaça por aqui desde os anos 1800 e precisamos dar continuidade num processo muito nobre que é a Identificação Geográfica da cachaça de Viçosa do Ceará, para que seja reconhecida pelo INPI, que é o Instituto Nacional da Propriedade Industrial.”.

Caio explicou que a proteção concedida por uma Indicação Geográfica (IG), além de preservar as tradições locais, pode diferenciar o produto, melhorar o acesso ao mercado e promover o desenvolvimento regional, gerando efeitos para produtores, prestadores de serviço e consumidores. “Para conseguirmos a IG é importante estarmos organizados por meio da associação, unindo forças.” – disse ele.

O Instituto Federal do Ceará (IFCE) é membro externo da associação. O professor Mário Neto explicou que o IFCE dará apoio técnico-tecnológico e seus estudantes deverão fazer estágio nas cachaçarias da cidade.

“Esse evento é de grande importância porque os produtores precisam estar unidos para o desenvolvimento de Viçosa do Ceará. A cidade tem mais de 100 alambiques e precisa valorizar essa tradição.” – disse Edilson Nogueira, da Cachaça Vale do Lambedouro, que acrescentou: “Eu sou filho de João Gonçalo, produtor de cachaça desde 1972 e assumi a fábrica em 2018. Seguimos fazendo cachaça engarrafada, registrada, toda envelhecida em tonel e estamos vendendo nos melhores bares e restaurantes.”.

“A cachaça é produzida em toda a cidade, tanto nos sertões como na serra, especialmente no cinturão verde, região do Lambedouro e Passagem da Onça.” – explica Jorge Maurício, da Cachaça Nogueira, que existe desde 1892, estando hoje na 4ª geração.

“A cachaça será sempre marcante. A gente não prepara ninguém para não beber; mas para ser livre e saber beber.” – disse Tereza Cristina, da Casa dos Licores, empreendimento que herdou dos pais. Lá, o turista entra pela cozinha, lugar onde são preparadas as bebidas, doces e biscoitos comercializados na casa.

 A união dos produtores por meio da associação permite valorizar cada vez mais o nosso produto, buscando melhorar sua qualidade, fortalecendo a cachaça viçosense.” – disse Lucivando Rocha, da Cachaça Esmeralda.

Orlei Moreira, proprietário da cachaçaria Arte da Vila, conta que a família sempre produziu cachaça e ele decidiu manter a tradição criando o empreendimento onde também se vende petas, sequilos, arte em barro, tudo produzido na terra.

A diretoria executiva eleita da associação será:

Caio Carvalho, presidente;

Edilson Nogueira, vice-presidente;

Alan Carvalho, tesoureiro;

Gabriel Cardoso, secretário.

 

 

 (Ibiapaba 24 horas)

 

Obs.: Os comentários abaixo postados, não refletem as opiniões do Ipu Notícias
Comentários
0 Comentários

0 comentários

Faça seu Comentário

Todos os comentários são lidos e moderados previamente
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria
- Não serão aceitos comentários difamatórios
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros sites ou blogs

OBS.: Comentários dos leitores não refletem as opiniões do IN

2010 - Portal Ipu Notícias . Todos os Direitos Reservado. - Desenvolvido por Fagner Freire