E-commerce: Ceará tem faturamento superior a R$ 1,2 bilhão em compras pela internet no 2° trimestre de 2022

 Telefonia aparece no topo de produtos mais consumidos no período via plataformas de venda na internet — Foto: Reprodução/EPTV

O Ceará teve um faturamento superior a R$ 1,2 bilhão em compras online no segundo trimestre de 2022. De acordo com dados da Neotrust, empresa de inteligência de mercado para e-commerce, foram mais de 2,3 milhões de pedidos realizados pelos consumidores cearenses, o que representou uma alta de 7,67% em relação ao mesmo período do ano passado.

Conforme o levantamento feito pela consultoria, o valor do ticket médio gasto pelos cearenses nas compras virtuais entre maio, junho e julho foi de R$ 532,68, que ficou acima da média nacional (R$ 407,9). Em todo o Nordeste, o faturamento chegou a quase R$ 7 bilhões. (R$ 6,97 bilhões).

Entre os produtos mais consumidos via e-commerce no trimestre estão os das áreas de telefonia, eletrodomésticos, eletrônicos, informática, moda e acessórios.

O método de pagamento mais utilizado foi o cartão de crédito (61,5%), seguido de boleto bancário (14,7%) e PIX (5,6%).

Comprar e vender via internet

O especialista no mercado de e-commerce, Thalles Lima, afirmou que os consumidores não precisam ter medo de se lançar nesse mercado. Ao g1, ele deu dicas para quem pretende empreender via e-commerce e deu dicas para que os clientes se sintam à vontade na hora de realizar compras no ambiente virtual, sem, contudo, deixar de ter alguns cuidados.

Para iniciar a vender somente pela internet é preciso construir uma estrutura online e decidir se vai criar um novo site ou alugar um para hospedar os seus produtos.

"Caso você escolha ter um site exclusivo seu, é importante pensar em quais as formas de pagamento você irá aceitar como pagamento, existem hoje diversos gateways de pagamento que você pode utilizar para terceirizar o processamento dos pagamentos dos clientes de forma segura. No caso de utilizar alguma plataforma já existente, ela já tem o método pagamento próprio e você não precisará se preocupar com isso. Com toda estrutura pronta, a processamento de pagamentos configurados, você precisará trabalhar o marketing digital, até porque, nada adianta termos um site bem estruturado, mas não ter clientes para comprar", explicou.

Escolhida a forma de hospedagem dos produtos a serem comercializados online, é preciso decidir sobre a melhor plataforma, inclusive olhando os concorrentes, segundo Thalles.

"Uma forma boa de saber, é analisar as plataformas que seus concorrentes estão utilizando, olhar os planos da plataforma para saber se ela atende todas as suas necessidades, verificar os métodos de pagamento utilizado e as avaliações da plataforma", analisa.

Disponibilizar os produtos e ser fiel ao prazo de entrega das mercadorias são atitudes fundamentais para que o empreendedor tenha êxito no e-commerce.

"Várias pessoas esquecem desse pequeno detalhe e acabam vendendo algum produto que não tem em estoque. Isso causa um desconforto para o seu comprador e também para você. É muito importante caso você tenha um site próprio é que você tenha um site rápido, nenhum cliente gosta de esperar seu site carregar por muito tempo, o site precisar ter velocidade", aconselha.

O ambiente virtual pode gerar dúvidas ou temor de cair em golpes, mas segundo Thalles o comércio eletrônico é sim um mercado seguro, contudo não se deve deixar de tomar alguns cuidados. Veja algumas dicas para empreendedores e clientes:

  • Consulte os dados da empresa antes de comprar, através de uma pequena busca na internet.
  • Confira se o site possui um certificado digital de segurança, não confie em sites que tenha erros de digitação, qualidade ruim e fotos ruins.
  • Faça uma pesquisa na internet sobre a reputação daquela empresa, provavelmente você encontrará depoimentos positivos e negativos.
  • Dê preferência para pagamentos com cartão de crédito, pois é o método seguro de compra, e mesmo depois de todas essas dicas acontecer de cair em golpes utilizando o cartão, basta ligar na sua operadora de cartão e cancelar a compra.
  • Selecionar o seu público alvo para aparecer para pessoas que tem interesse no seu produto;
  • Invista em marketing digital para poder aparecer para essas pessoas específicas.
  • Aposte bastante em conteúdos nas redes sociais e remarketing que nada mais é do que, refazer o marketing para clientes que entraram na sua loja virtual e não comprou, dessa forma você oferece o produto novamente para ela, mostrando outras vantagens daquele produto.

Para os clientes, a dica é utilizar sempre um dispositivo pessoal para as compras, evitar ao máximo computadores públicos. 

 

G1

Tags