Você está em: CEARA // Notícia de Fagner Freire // 9 de março de 2021

 


As águas oriundas do Rio são Francisco começaram a passar pela localidade de Mapuá, no município de Jaguaribe, na manhã desta segunda-feira (8), e seguem pelo rio Jaguaribe em direção à bacia do Castanhão, em Jaguaribara, com previsão de chegar nesta terça-feira (9). A expectativa foi confirmada pelo secretário executivo da Secretaria de Recursos Hídricos (SRH), Aderilo Alcântara.

“A água segue do município de Jaguaribe em direção a Jaguaribara e pode desaguar na bacia do Castanhão amanhã (9). Essa é a maior probabilidade. Estamos muito próximos de realizar esse sonho”, afirma Alcântara.

Técnicos da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) fazem o monitoramento das águas do São Francisco desde o último dia 1º, quando foram liberadas no km 53 do Cinturão das Águas do Ceará (CAC), no chamado trecho emergencial, para o Riacho Seco, seguindo ao rio Batateiras e ao riacho dos Porcos, que formam o rio Salgado, em Missão Velha.

Chuvas de 2021

Inicialmente, os técnicos da Cogerh previam que após a abertura da comporta do CAC, a água iria percorrer cerca de 300 km até a bacia do Castanhão em aproximadamente 30 dias. Entretanto, as chuvas que banharam a região do Cariri e aumentaram o nível do rio Salgado contribuíram para antecipar a chegada das águas do São Francisco ao maior reservatório do Ceará, o Castanhão.

Dois dias antes da abertura da comporta do CAC, no dia 1º passado, houve boas chuvas no Cariri. À noite, após a liberação da água do São Francisco, voltou a chover forte na região e o recurso hídrico seguiu em maior velocidade ao longo do leito do Riacho Seco e, porteriormente, pelo Salgado.

Alcântara frisou que a estratégia da SRH sempre foi liberar a água do São Francisco durante período chuvoso.

“Se fosse no período seco, a água do CAC demoraria muito a vencer obstáculos nos leitos de riachos e rios até chegar ao Castanhão, e demoraria muito”, afirmou o secretário executivo.

O gerente do escritório regional da Cogerh, em Iguatu, Anatarino Torres, explicou que “desde a abertura da comporta do CAC, os técnicos da Cogerh fazem o monitoramento, realizando medições de vazões e acompanhando os níveis em várias seções ao longo de todo o trecho, da saída no CAC até o Castanhão”.

Caminho das águas

O caminho de cerca de 300 km conduz água das chuvas e da transposição, que se misturam no Cariri e seguem por Missão Velha, Aurora, Lavras da Mangabeira, Icó, Jaguaribe e Jaguaribara, até chegar à bacia do Castanhão.   

Em Icó, cerca de 30 km após a cidade, a água deixa o rio Salgado e entra no rio Jaguaribe, em uma área rural, isolada e de difícil acesso, na localidade conhecida por “Forquilhinha’, justamente por ser uma bifurcação, formato de ‘Y’, da junção dos dois cursos de água.

 

 (Diário do Nordeste)

Caderno: CEARA
Obs.: Os comentários abaixo postados, não refletem as opiniões do Ipu Notícias
Comentários
0 Comentários

0 comentários

Faça seu Comentário

Todos os comentários são lidos e moderados previamente
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria
- Não serão aceitos comentários difamatórios
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros sites ou blogs

OBS.: Comentários dos leitores não refletem as opiniões do IN

2010 - Portal Ipu Notícias . Todos os Direitos Reservado. - Desenvolvido por Fagner Freire