Você está em: CEARA // Notícia de Anselmo // 27 de maio de 2022


Mulher foi perseguida pelo agressor, mas conseguiu pedir ajuda ao entrar em uma concessionária — Foto: Divulgação

Uma estudante de psicologia foi atacada por um homem em uma parada de ônibus do Bairro Joaquim Távora, em Fortaleza, na última terça-feira (24). Segundo a vítima, ele a agarrou e chegou a tocá-la nas pernas e na região da cintura. Nenhum objeto foi levado pelo agressor, que fugiu.

"Eu estava esperando o ônibus para ir pegar meus três filhos na escola quando esse homem que estava a pé se aproximou e já avançou sobre mim para me agarrar. Ele passou a mão nas minhas pernas e pegou na minha cintura. Eu tentei correr e ele me seguiu tentado me agarrar outra vez até que o chutei e consegui me desvencilhar dele. Foi nessa hora que entrei dentro de uma concessionária para pedir socorro", relata.

A Polícia Civil informou que um boletim de ocorrência sobre o caso foi registrado no 4° Distrito Policial e que a unidade realiza diligências no intuito de identificar o suspeito. A ação foi registrada por câmeras de segurança. No vídeo é possível ver um homem de bermuda e camisa regata de cor branca caminhando sobre a ciclofaixa na Av. Pontes Vieira. Ao passar em frente à parada de ônibus, ele se inclina e toca nas pernas da vítima, que tenta correr. Um passageiro que estava no local vê a cena, mas não reage para impedir a ação do agressor.


Em seguida, a mulher corre para a calçada em frente ao estabelecimento comercial e é perseguida pelo homem, que novamente tenta agarrá-la, mas se desequilibra e cai, momento em que a vítima consegue entrar no estabelecimento comercial. Ele sai andando normalmente.


"Entrei na concessionária completamente desesperada. Eu estava chorando muito e três funcionários me acolheram, tentaram me acalmar, me deram água e só saí de lá após a chegada da polícia, que demorou meia hora para ir ao local", afirma.


Medo
A estudante informou que só após mais de meia hora conseguiu voltar para o ponto de ônibus para enfim pegar os filhos que a aguardavam na escola. Antes de embarcar, ela ouviu de passageiros que o homem havia tentado atacar outra mulher na mesma região minutos depois. Ainda se recuperando do trauma, a mulher diz que não tem mais coragem de ir pegar os filhos de ônibus e teme que outras pessoas possam passar pela mesma situação caso o agressor continue solto pelas ruas.


"Eu só uso o transporte público dia de terça-feira, porque meu marido precisa do carro, mas não tive mais coragem de voltar àquela parada de ônibus. Estou indo buscar as crianças por meio de transporte por aplicativo. A sensação é de medo e impotência, parece que vou ser atacada a qualquer momento na rua, espero que esse homem seja encontrado para que outras pessoas não passem pelo que passei", desabafa.
G1 CE
Caderno: CEARA
Obs.: Os comentários abaixo postados, não refletem as opiniões do Ipu Notícias
Comentários
0 Comentários

0 comentários

Faça seu Comentário

Todos os comentários são lidos e moderados previamente
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria
- Não serão aceitos comentários difamatórios
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros sites ou blogs

OBS.: Comentários dos leitores não refletem as opiniões do IN

2010 - Portal Ipu Notícias . Todos os Direitos Reservado. - Desenvolvido por Fagner Freire