Você está em: REGIONAL // Notícia de Fagner Freire // 27 de agosto de 2018


Quando subiu as escadas que davam acesso ao campo do Presidente Vargas, Clodoaldo ouviu a música que embalou sua melhor época da carreira de jogador. Crianças entoavam "Uh! Terror! Clodoaldo é matador!" mesmo sem terem vivido a época. 

A lenda do baixinho transcendeu o tempo. Neste domingo (26), num roteiro muito bem desenhado, Clodoaldo virou torcedor, saiu do banco e fez o gol de empate (reveja no vídeo acima) do Fortaleza contra o Floresta aos 49 do segundo tempo: 1 a 1.

Há quase 13 anos, Clodoaldo vestiu a camisa tricolor pela última vez. Muito tempo depois, com menos fôlego (estava há dois anos sem jogar) o baixinho teve a chance de disputar novamente uma competição com a camisa do Fortaleza. No banco de reservas, virou torcedor comum. Aflição, ansiedade, preocupação... Clodoaldo xingava, batia palmas, se lamentava. Não demorou a ouvir os gritos da arquibancada que pediam pela sua volta. 

- Ah! Ah! Ah! Clodoaldo quer jogar! - gritavam na arquibancada.  

Foi o Floresta quem saiu na frente. A jogada passou pelos pés de Magno Alves. Quem balançou as redes de Max Walef foi Lucas Chinaque. Clodoaldo ouviu o nome ser gritado da arquibancada quando o Leão teve uma oportunidade em cobrança de falta. E aos 15 minutos do segundo tempo, ele entrou. 

Quando teve o nome chamado pelo treinador, correu para tirar o colete e entrar em campo. A torcida foi à loucura. Na vaga de João Henrique, Clodoaldo começou mais pelo lado direito do campo. O fôlego não era mais o mesmo. Mas o toque de bola era de quem entendia do assunto. 

Passes certos, toques precisos. Mas não queira que o baixinho corra muito atrás da bola. Ela tem que chegar aos pés do "matador". No fim do jogo, Clodoaldo já estava postado no área do Floresta. Esperava apenas uma chance. Numa bola lançada na área, por pouco não desviou para o gol. Mas o roteiro estava muito bem escrito por algum tricolor. 

Na última bola, aos 49 minutos do segundo tempo, Minho chutou. A bola sobrou no rebote do goleiro do Floresta para que Clodoaldo fizesse aquilo que fez tantas e tantas vezes com a camisa do Fortaleza. Pela 127ª vez, o baixinho marcou um gol. Este, de empate contra o Floresta. A arquibancada foi ao delírio. E celebrou o gol e o resultado com o ídolo de uma outra geração, mas que certamente não será esquecido pelos novos tricolores que vêm por aí. 



G1
Caderno: REGIONAL
Obs.: Os comentários abaixo postados, não refletem as opiniões do Ipu Notícias
Comentários
0 Comentários

0 comentários

Faça seu Comentário

Todos os comentários são lidos e moderados previamente
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria
- Não serão aceitos comentários difamatórios
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros sites ou blogs

OBS.: Comentários dos leitores não refletem as opiniões do IN

2010 - Portal Ipu Notícias . Todos os Direitos Reservado. - Desenvolvido por Fagner Freire